Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Uma Arma de Destruição Educativa - Por Mário Silva

03.09.21

Recebido por email devidamente identificado:

"Estava sentada olhando para o ecran do computador com uma expressão facial visivelmente agastada e aborrecida. Pensando que seria o retomar de mais um ano com previsivel avalanche de burocracia inútil que desvia daquilo que ela gosta de fazer- preparar e lecionar aulas- cumprimento afavelmente para desanuviar o estado psicológico. Olhou para mim, e com sorriso sereno, afirmou:”Olha, o 6º escalão vai ser o meu topo da carreira!...”, apontando para o ecran. Aproximei-me e vi que estava aberto um documento pdf que se intitulava “Lista Definitiva de 2021 de Graduação dos Docentes Candidatos às Vagas para a Progressão ao 5º Escalão da Carreira”. Também estava aberta a lista para progressão ao 7º escalão, ambas com mais de duzentas páginas!... Em ambas estavam mais de 4 mil docentes!...

A desgraçada estava colocada para lá do 4000 e aí compreendi a afirmação. Sentei e comecei a fazer contas com ela, estabelecendo uma premissa teoricamente possível mas racionalmente improvável: supor que não tinha ido para a lista negra. Tendo 52 anos e ainda beneficiando de 1 ano da recuperação do tempo de serviço, iria entrar no 6º com 53 anos, no 7º com 57 anos, no 8º com 61 anos, no 9º com 65 anos e no 10º com 69 anos...! Conclui-se que se quisesse usufruir da remuneração do 10º escalão teria de trabalhar para além dos 70 anos...! Quem considera isto exequível e realista?...

Presumindo que fica na lista 4 anos (cenário otimista) e que não fica na lista negra no 6º escalão, só pode almejar terminar a carreira no 8º escalão; presumindo que também fique retida no 6º escalão, então terminará no 7º escalão.

Tendo noção realista que o poder governamental será sempre ocupado pela dupla PS/PSD (eventualmente com a muleta BE/PCP ou CDS), os 3 anos de serviço que faltam jamais serão recuperados, pelo que é evidente que estes docentes sabem que a sua carreira está definitivamente destruída. Qual será a motivação profissional destes milhares de docentes, sabendo que mesmo que façam tudo muito bom, estará vedado o acesso ao 8º, 9º e 10º escalões?

Que prejuízo grave irá acontecer, pedagógico e pessoal, para docentes e estudantes, por causa deste modelo de gestão governamental apenas obcecado com o valor orçamental?

Se o objetivo seria destruir o sistema educativo, as vidas dos docentes e dos estudantes, então idealizaram um procedimento eficaz para isso...

Mário Silva"

 

3 comentários

  • Força aí.
  • Sem imagem de perfil

    mario silva

    09.09.21

    A não ser que se tenha tido um treino especifico e intenso de preparação para a adversidade frequente, é perfeitamente natural a instalação do desânimo e desmotivação. Paradoxalmente, um professor jovem (25-30 anos) tem maior probabilidade de chegar ao topo da carreira do que um com 40 a 55 anos, baseando nos seguintes pressupostos: entra no quadro com 25 anos, não fica retido no 4º nem no 6º escalão, entra no 10º escalão com 63 anos. Entrando no quadro com 25 anos e ficando retido no 4º e 6º escalão num total de 8 anos, entra no 10º escalão com 67 anos.
    Como a carreira docente sempre esteve mal estruturada, pertencendo a uma profissão em que não se aplica o principio "trabalho igual, salário igual", ocorre a perversão de 2 docentes a realizarem rigorosamente a mesma função, terem salários com diferenças de centenas de euros liquidos...!
    Esta situação vai minando o ambiente de trabalho, instalando-se uma 'paz podre' dentro de cada escola, tudo isto planeado intencionalmente pelos governos do bloco central (PS/PSD).
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.