Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

É tempo de acordar? Em Portugal, 40% dos rapazes e 26% das raparigas entre os 9 e os 16 anos já foram expostos a pornografia"

26.05.24, Paulo Prudêncio
Imagem da edição impressa do Expresso. Há pelo menos dez anos que se percebe o fenómeno. Agravou-se há uns seis ou sete. Mas o poder da indústria sobrepõe-se. Veja números de 2019, pré-pandemia, portanto. Actualmente devem ser bastante superiores. "Acesso precoce a conteúdos pornográficos tem impacto no desenvolvimento. Casos de dependência aumentam entre os mais novos. Em Portugal, 40% dos rapazes e 26% das raparigas entre os 9 e os 16 anos já foram expostos a pornografia" (...)

do presente

18.12.17, Paulo Prudêncio
      "(...)A História distingue-se da Pré-História quando começou a informação escrita. Acho que daqui a 100 anos as pessoas vão olhar para trás e dizer que até ao segundo milénio estávamos na Pré-História. O que sabemos dos gregos é o que Heródoto e mais alguns escreveram. Mas só agora estamos finalmente a registar tudo e vai ser possível compreender muito melhor o presente.(...)"     Pedro Domingos, Revista do Expresso  de 13 Agosto de 2016:23 Autor de (...)

Compreender o presente

30.12.16, Paulo Prudêncio
      "(...)A História distingue-se da Pré-História quando começou a informação escrita. Acho que daqui a 100 anos as pessoas vão olhar para trás e dizer que até ao segundo milénio estávamos na Pré-História. O que sabemos dos gregos é o que Heródoto e mais alguns escreveram. Mas só agora estamos finalmente a registar tudo e vai ser possível compreender muito melhor o presente.(...)"     Pedro Domingos, Revista do Expresso  de 13 Agosto de 2016:23 Autor de (...)

Estamos na pré-história?

13.08.16, Paulo Prudêncio
        "(...)A História distingue-se da Pré-História quando começou a haver informação escrita. Acho que daqui a 100 anos as pessoas vão olhar para trás e dizer que até ao segundo milénio estávamos na Pré-História. O que sabemos dos gregos é o que Heródoto e mais alguns escreveram. Mas só agora estamos finalmente a registar tudo e vai ser possível compreender muito melhor o presente.(...)"     Pedro Domingos, Revista do Expresso de 13 Agosto de 2016:23 Au (...)

tecnologias, simplificações e distracções comerciais?

25.12.15, Paulo Prudêncio
      Simplificação, acesso à informação, melhor gestão do tempo e por aí fora são ideias associadas ao desenvolvimento tecnológico. Apesar de tanto avanço, impressionam as dificuldades criadas no uso de aparelhos triviais. Ligar um televisor com uma "box", o que exige dois comandos, tornou-se uma aventura. O antigo On/off, seguido dos botões dos canais e do volume, foi substituído por um comando para o televisor destinado à busca do canal (que nem sempre é o mesmo) (...)

do criador da Siri

17.03.14, Paulo Prudêncio
          O ambiente de sociedade de informação nas organizações escolares deve incidir na simplificação dos procedimentos informacionais que envolvem os professores e os restantes profissionais.   Se isso acontecer, está dado um primeiro e fundamental passo para que as tecnologias e o software só entrem nas salas de aula de forma sensata e com alergia aos modismos.   "O criador da Siri, a aplicação que serve de assistente pessoal no iPhone e que a Apple comprou por 200 milhões de dólares, veio a Portugal dar conselhos de empreendedorismo (...)

polémicas sobre o digital

29.06.13, Paulo Prudêncio
          Um IPAD por aluno pode ser um projecto interessante, mas tem riscos e o principal pode estar na concentração. Um aluno com um aparelho ligado à rede terá tendência para se dispersar e prestar menos atenção ao que se passa na sala de aula.            

assustador?

22.12.11, Paulo Prudêncio
    Há quem afirme que nos próximos cinco anos a tecnologia vai ser capaz de ler a mente através dum software que criará, por exemplo, passwords com o recurso ao ADN. Poderemos levantar dinheiro (se ainda houver, claro) ou marcar um número de telefone com a força do pensamento. Há um mar de questões que se levantam e que devem ser discutidas.   IBM (...)