Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

Estado de Excepção

08.08.19
  "(...)Estado de excepção é um conceito utilizado pelo filósofo italiano Giorgio Agamben e inicialmente definido por Carl Schmitt. Preocupado com as derivações das nossas democracias, que legitimam ideias e práticas típicas das ditaduras, Giorgio Agamben recusou participar numa conferência nos USA para não ter de se sujeitar a passar pelo crivo securitário dos aeroportos. "Está em causa a minha liberdade" - afirmou. Forte crítico do que se passou (...)

Do Impasse na Situação dos Professores

26.02.19
    O Governo regressou à "negociação" com a recuperação dos tais dois anos e tal de nove e qualquer coisa. Aliás, o PM afirmou hoje que esses dois anos e tal podiam estar já a ser contabilizados. Ou seja, havia financiamento. Gostava era que se soubesse o montante e, já agora, que a mesa negocial revelasse o investimento necessário para a recuperação total apurada pela comissão especializada paritária nomeada em Julho do ano passado. Era só para fazermos contas. O (...)

Angariar para Suportar Greves

14.02.19
    Há muito que os professores organizam fundos de greve. Fazem uma quotização entre si e suportam os cortes financeiros. Mais recentemente, houve duas situações dessas nas greves às avaliações dos alunos através da falta de um professor a um conselho de turma (vulgo reunião de notas). Angariar fundos para suportar greves é legal e justo. O profissionalismo não é exactamente um sacerdócio. Dá ideia que o futuro próximo desenha mais episódios desse fenómeno. A (...)

Vence-os Pelo Cansaço, Terá Dito o Príncipe?

24.01.19
      Ouvi noutro dia e concordo: Maquiavel, no Príncipe, foi um generoso, ao contrário do espírito insinuado nas inúmeras vezes em que é nomeado; limitou-se a explicar, o que é diferente de propor ou concordar, o que observou. Se com os professores o Governo continua no registo "vence-os pelo cansaço", será melhor ler, ou reler, o Príncipe e não confiar no que dizem que lá está escrito. Os professores voltaram hoje aos protestos de rua através da acção dos (...)

No S.TO.P?

01.08.18
      Era interessante apurar o número de professores que se sindicalizaram no S.TO.P. Aliás, era também interessante saber se essa decisão correspondeu ao "abandono" dos sindicatos mainstream. Se foi evidente a incomodidade dos sindicatos tradicionais com a ILC e com o S.TO.P, é capaz de ser surpreendente a origem sindical dos aderentes ao S.TO.P (considerando que a novel e digital organização obteve um número significativo de sindicalizados contrariando a maioria dos (...)

da mesa negocial sobre os professores

25.07.18
      É este o resultado da comissão técnica? É isto que têm para dizer depois destas greves? Os sindicatos dizem que o Governo não tem dados rigorosos? Li várias notícias e concluí: a mesa negocial está em-estado-de-fingimento (ou a gozar?) e depois admira-se com a radicalização vigente com tendência a agravar-se. O Expresso apresenta o problema assim "Proposta para recuperar dois anos e 9 meses de tempo de serviço custa 180 milhões de euros. No final da reunião sobre os custos do descongelamento e da recuperação de tempo de serviço, o Governo voltou a reafirmar as suas contas e os sindicatos mantiveram as suas dúvidas.(...)Negociação política só em Setembro.(...) (...)

A plataforma de sindicatos ouvirá os professores

29.06.18
      A plataforma de sindicatos ouvirá os professores para decidir sobre a exigência de recuperação de todo o tempo de serviço. O estado a que chegámos motiva as interrogações: mas esta fortíssima greve tinha outro destino? Ainda há dúvidas? Repitamos, para não nos esquecermos de que existe um executivo: onde esteve a mesa negocial desde Outubro de 2017? Não se sabia da possibilidade de um faseamento? Não se sabia da possibilidade de acelerar aposentações usando (...)

vitória nos serviços mínimos?!

26.06.18
      A situação é grave para a democracia e para a educação. O colégio arbitral decidiu por unanimidade. Considerando a sua composição, a plataforma de sindicatos fica novamente numa posição muito difícil (como aconteceu há dias com a surpreendente rejeição do PCP em relação à ILC). Há uma certeza: a não recuperação do tempo de serviço colocou os professores no limite da paciência e a saturação traduziu-se na forte adesão às greves. A radicalização de (...)