Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

Angariar para Suportar Greves

14.02.19
    Há muito que os professores organizam fundos de greve. Fazem uma quotização entre si e suportam os cortes financeiros. Mais recentemente, houve duas situações dessas nas greves às avaliações dos alunos através da falta de um professor a um conselho de turma (vulgo reunião de notas). Angariar fundos para suportar greves é legal e justo. O profissionalismo não é exactamente um sacerdócio. Dá ideia que o futuro próximo desenha mais episódios desse fenómeno. A (...)

Vence-os Pelo Cansaço, Terá Dito o Príncipe?

24.01.19
      Ouvi noutro dia e concordo: Maquiavel, no Príncipe, foi um generoso, ao contrário do espírito insinuado nas inúmeras vezes em que é nomeado; limitou-se a explicar, o que é diferente de propor ou concordar, o que observou. Se com os professores o Governo continua no registo "vence-os pelo cansaço", será melhor ler, ou reler, o Príncipe e não confiar no que dizem que lá está escrito. Os professores voltaram hoje aos protestos de rua através da acção dos sindicatos. (...)

No S.TO.P?

01.08.18
      Era interessante apurar o número de professores que se sindicalizaram no S.TO.P. Aliás, era também interessante saber se essa decisão correspondeu ao "abandono" dos sindicatos mainstream. Se foi evidente a incomodidade dos sindicatos tradicionais com a ILC e com o S.TO.P, é capaz de ser surpreendente a origem sindical dos aderentes ao S.TO.P (considerando que a novel e digital organização obteve um número significativo de sindicalizados contrariando a maioria dos (...)

da mesa negocial sobre os professores

25.07.18
      É este o resultado da comissão técnica? É isto que têm para dizer depois destas greves? Os sindicatos dizem que o Governo não tem dados rigorosos? Li várias notícias e concluí: a mesa negocial está em-estado-de-fingimento (ou a gozar?) e depois admira-se com a radicalização vigente com tendência a agravar-se. O Expresso apresenta o problema assim "

A plataforma de sindicatos ouvirá os professores

29.06.18
      A plataforma de sindicatos ouvirá os professores para decidir sobre a exigência de recuperação de todo o tempo de serviço. O estado a que chegámos motiva as interrogações: mas esta fortíssima greve tinha outro destino? Ainda há dúvidas? Repitamos, para não nos esquecermos de que existe um executivo: onde esteve a mesa negocial desde Outubro de 2017? Não se sabia da possibilidade de um faseamento? Não se sabia da possibilidade de acelerar aposentações usando o (...)

vitória nos serviços mínimos?!

26.06.18
      A situação é grave para a democracia e para a educação. O colégio arbitral decidiu por unanimidade. Considerando a sua composição, a plataforma de sindicatos fica novamente numa posição muito difícil (como aconteceu há dias com a surpreendente rejeição do PCP em relação à ILC). Há uma certeza: a não recuperação do tempo de serviço colocou os professores no limite da paciência e a saturação traduziu-se na forte adesão às greves. A radicalização de (...)

"guerra" aos professores caiu num impasse

12.06.18
      A saturação dos professores provocou a situação vigente. Não é a primeira vez que, na última década e meia, acontece um fenómeno semelhante: o limite da tolerância passa a contestação e ultrapassa governos e plataforma de sindicatos, com quatro causas identificadas: entendimentos sem contacto com o real, adiamento de decisões, inépcia governativa ou posições radicais dos executivos. Como as novas formas de comunicação acrescentaram capacidade de organização (...)