Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

Dos concursos de professores

24.01.17
      Foi em 2003 que os concursos de professores iniciaram o movimento descendente. O rol de injustiças (inúmeras já irreparáveis) cresceu e lançou os procedimentos num labirinto em forma de imbróglio. Entre tanta justificação, o mérito no exercício dos professores destacou-se ciclicamente. O sistema integrado de avaliação do desempenho da administração pública nasceu para resolver de vez, diziam os mentores, esse tipo de "lacuna". O SIADAP reuniu uma linguagem (...)

a esquerda e a psiquiatria

07.07.13
          A esquerda inebriou-se com o facilitismo do "tudo deve obedecer à lógica de mercado" menos os monopólios que garantem poder ilimitado às oligarquias que gravitam na esfera dos governos e deixou-se seduzir por ideias meritocráticas do género SIADAP que deixaram o seu lado do combate político refém da desmobilização, da anti-cooperação e da incapacidade para apontar caminhos alternativos.   A democracia dá trabalho e a esquerda seguiu o trajecto mais imediato, (...)

do suicídio da europa

08.02.13
        A conversa derivou para os tiques totalitários do tempo em que vivemos e introduzi, para relativo espanto dos meus interlocutores, o SIADAP (Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Pública). Como tínhamos partido do maoismo, do estalinismo e de outros ismos, foi natural a surpresa com a aparente derivação da minha questão e concordámos que para se entender o alcance da afirmação é necessário mergulhar na dilacerante atmosfera (...)

dos cortes nos do costume

05.02.13
        Luís Valadares Tavares, ex-presidente do Instituto Nacional da Administração, é um adepto do SIADAP (Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Pública). Bem sei que a linguagem do sistema é sedutora e bem-pensante, mas a sua aplicação é desastrosa.   Nas respostas a esta entrevista, levanta uma questão pertinente depois de (...)

só mesmo com um grande se

30.10.12
                                  Vi o ontem o jurista Paulo Saragoça da Matta, numa entrevista a Mário Crespo, defender a avaliação dos juízes. Fiquei com a ideia que é também professor de magistrados e advogou a pontuação dos seus pares como um caminho inalienável para a meritocracia e para os ganhos de credibilidade junto da opinião pública. No (...)

siadap em queda livre

22.10.12
      O espírito SIADAP (Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Pública) está, inevitavelmente, em queda livre. Os sistemas como o SIADAP, mesmo que usem a linguagem sedutora e bem-pensante dos totalitarismos, esbarram na natureza humana e na necessidade de se colocar em lugar cimeiro os direitos humanos; pode é levar algum tempo e ceifar (estou a pesar bem) vidas.   O inferno da medição em que vivemos é um terreno fértil para os descomplexados (...)

dos papéis invertidos - cenas da nossa desorientação

01.10.12
              O sistema integrado de avaliação do desempenho da administração pública (SIADAP) reúne uma linguagem tão sedutora e bem-pensante como as que deram origem aos totalitarismos mais diversos. São cada vez mais os que classificam a meritocracia como uma impossibilidade de génese antidemocrática.   A desorientação instalou-se no SIADAP e só o faz de (...)

que não seja como o kafkiano

20.06.12
      Quando alguém deste Governo diz que um modelo de avaliação é mau, temos de duvidar do que vai acontecer. É que Passos Coelho, o tal do Kafkiano, mentiu em campanha eleitoral e pode ter feito escola.   Há dias fiz este post, "O SIADAP, os sem voz e o clima organizacional", em que escrevi assim: "(...)Os grupos profissionais mais capazes de ocupar espaço no mundo mediático, como (...)

brutal

12.06.12
      Uma entrevista a Christophe Dejours, no antigo P2 do Público, foi ao osso do Taylorismo (bem sei que talvez Frederick Taylor tenha as costas largas, que deveria ser avaliado com o pensamento do seu tempo, por aquilo que defendeu e não pelo que fizeram com as suas teorias, embora a lógica empresarial em que "uns quantos, poucos, apenas pensam, e uns tantos, muitos, apenas fazem" tenha provocado inúmeras dilacerações relacionais) e deixou a comunidade que se interessava (...)