Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

O Tribalismo Tomou Conta do Escolar

17.02.19
   O contraditório no debate ideológico é essencial. É também assim nas políticas educativas, onde o progresso não é linear: tem recuos e recomeços. Mas é importante sublinhar que os retrocessos civilizacionais levam anos a recuperar. A escola, que é "desde sempre", e quase por definição, uma instituição em crise, está  exposta ao tribalismo que tomou conta das sociedades.Saberes estruturantes e coração do currículo, interdisciplinaridade (um desejo antigo), sucesso (...)

Mais um dia de Greve (ou de impostos?) dos Professores

15.02.19
    Há argumentos que se opõem na retórica das greves: um dia para quê, uma semana é que era e por aí fora, em contraposição com o mais vale um dia do que nenhum, uma semana penaliza muito os salários e por aí fora. Talvez poucos saibam, mas os professores estão em greve a reuniões fora do horário. Como é serviço extraordinário não remunerado, os tempos de greve não são descontados no vencimento. Por outro lado, estão há muito em greves sucessivas e os resultados, (...)

Dos Detalhes

06.02.19
    Um aluno com características que exijam a constituição de uma turma reduzida (os fundamentais 20 e não 28 alunos) tem que frequentar, diz a lei, 60% da carga curricular para que a turma se reduza. Ou seja, as disciplinas que incluem o espaço inferior a 60% integram o aluno num universo de 28 e não de 20 alunos. É um detalhe que faz toda a diferença e que espartilha a inclusão entre o centralismo dos números e a desconfiança nas escolas e nos professores. A (...)

Da Inclusão e Da Repetição

05.02.19
      Repitamos: a inclusão é, antes de mais, uma obrigação da sociedade e só será bem sucedida na escola se se dirigir a todos - alunos, professores e outros profissionais. Aliás, é exactamente o que se passa com a educação para a democracia: o ambiente relacional e organizacional, na sociedade e na escola, tem que ser democrático e alimentado nesse sentido diariamente. Por acaso, uma conversa com um amigo levou-me, de novo, a Chantal Mouffe. A licenciada em Filosofia (...)

Municipalização em Modo Espontâneo

01.02.19
   Por vezes, o telejornal da RTP2, 21h30, termina com um curto debate onde a reduzida audiência estimula a espontaneidade. Ontem, discutiu-se a municipalização em curso com a presença de dois presidentes de Câmara: Porto (é totalmente contra) e Caminha (é a favor quase na totalidade). O primeiro disse que já foi a favor, mas mudou radicalmente de posição por causa da educação. Explicou-se, com a seguinte terminologia: "não quero ficar apenas com a responsabilidade dos (...)

Da Falta de Professores e da Redução de Dias Escolares

29.01.19
    Os mais informados perceberam que a falta de professores seria uma questão de tempo e constatam que nada acontece na atractividade da carreira que contrarie a realidade; bem pelo contrário. Houve um estado americano mais radical que subtraiu despesa reduzindo para três os dias escolares semanais. É evidente que não se espera essa epifania, a não ser que lá mais para a frente se eleja algum tresloucado. Sabe-se, nos ministérios, que por cada dois professores que se reformem (...)

Dos Amanhãs que Cantam

25.01.19
   Não é privatizando o sistema escolar, atribuindo "cheques" aos mais pobres e dizendo-lhes que assim matriculam-se nas escolas dos ricos, que se reduzem as persistentes desigualdades. Essa falácia já deu mais do que provas que tem efeitos contrários. As escolas têm limites de vagas e um qualquer sistema de cotas é muito insuficiente. O caminho está há muito conhecido: investir na rede pública de escolas simultaneamente com uma incansável redução da pobreza num processo (...)

Professores na "nuvem humana"?

27.12.18
    "Podemos chegar a um futuro em que uma parte da força de trabalho desenvolverá diferentes tarefas para assegurar o seu rendimento - pode-se ser um motorista da Uber, um shopper do Instacart, um anfitrião do Airbnb e um Taskrabbit", Klaus Schwab (2017:46), "A Quarta Revolução Industrial".  Ou seja, é pertinente a interrogação (bem fundamentada) que coloca os professores contratados neste nível de precariedade. Aliás, o facto da profissão de professor não aparecer nos (...)

Acordaram

08.12.18
      Se existisse um programa decente para aposentações de professores (um grupo profissional que ainda há poucos anos se reformava entre os 56 e os 58 (52 no pré-escolar e 1º ciclo) com 35 anos de serviço), dá ideia que as escolas perdiam mais de 40 mil imediatamente. Mas quanto mais tarde se enfrentar a "organização de trabalho que adoece os professores", pior. O DN resume um estudo da OCDE que apresenta os números baixíssimos de aposentações em 2018 e nos anos anteriores: "