Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Da Dúvida Metódica no Regresso às Aulas

13.09.20
Percebe-se os que insistem no gradualismo no regresso às aulas presenciais e que já há algum tempo sugerem a criação de grupos de 10 ou 15 alunos em cada turma para frequência presencial semanal alternada. É importante sublinhar que isso não exige que um professor que lecciona uma disciplina com quatro aulas semanais tenha que leccionar mais umas tantas à distância, duplicando a sua carga. Cada professor deve ter a turma numa plataforma digital, até para antecipar o possível (...)

Que Escola, e em Que Democracia, Na Sociedade que Aí Vem

08.09.20
É importante pensar para lá da pandemia, até porque se prevê a sobreposição do isolamento físico sobre o gregário na sociedade que aí vem; e dito assim para simplificar. E se no espaço do isolamento físico estão os que acreditam no absolutamente digital, no gregário não encontramos os que o rejeitam nem sequer os neoluditas. É um debate centrado num "enxame digital" e nos "gigantes da web - os GAFAM (Google, Apple, Facebook, Amazon e Microsoft) - que nos querem (...)

População Escolar No Tubo de Ensaio

06.09.20
São tempos muito difíceis. Sabemos bem que a pandemia provoca situações sanitárias e económicas decisivas. Já muito se escreveu sobre o assunto, mas o salvamento de vidas manter-se-á como imperativo nas sociedades civilizadas. Para além disso, e como a investigação científica continua naturalmente numa maré de incertezas e contradições, e como as vacinas e medicamentos percorrem os inevitáveis caminhos temporais, a impaciência sobe de tom. O próximo regresso às aulas (...)

À Procura De Soluções Para Problemas Inexistentes

01.09.20
A 1ª edição deste post foi no dia 31 de Maio de 2020. Não faz sentido a dicotomia entre conteúdos e competências nem entre saberes e interdisciplinaridade ou entre avaliação e classificação. Como não faz sentido priorizar a antiga economia através da indústria de formação de professores ("dos fantásticos professores") e omitir as mudanças essenciais na estrutura da escola. Acima de tudo, é como se fosse possível ter uma competência vazia de conteúdos ou um saber (...)

A Europa e a Falta de Professores

27.08.20
  Texto de 27 de Fevereiro de 2018. A OCDE concluiu que há professores na Europa a precisar de tutorias e há quem pense de imediato em Portugal e no regresso dos professores titulares. Discordo. Há países onde já não há professores, tal os tratos a que o grupo profissional tem sido alvo. No Reino Unido e na Alemanha, por exemplo e lido assim de repente, precisam de tutorias porque há pessoas sem formação académica, e muito menos profissional, que recorrem ao ensino "apenas" (...)