Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

da investigação na Parque.Escolar.EPE

13.05.18
      A investigação na Parque Escolar é o destaque da 1ª página do Expresso. Há uma antiga ideia holística da pedagogia que é oportuno repetir: "tudo-está-ligado-a-tudo-e-nada-está-solto-de-nada". Ou seja, os grupos envolvidos nas obras da Parque Escolar.EPE foram alegadamente favorecidos pelo mesmo poder político que (...)

dos trípticos escolares

20.10.17
        Numa das fases escolares sobreaquecidas, uns "teóricos da conspiração" ligavam o crescimento repentino das cooperativas de ensino à privatização do sistema e à criação (2007) da ParqueEscolar.EPE (PEEPE); sumariando, o Grupo GPS, o Grupo LENA (que requalificou a maioria das escolas) e a PEEPE (com o território e o edificado de (...)

Da operação Marquês

12.10.17
        A operação Marquês está longe de um epílogo. Continuaremos no tempo da justiça. Todavia, e considerando a dimensão dos incluídos no processo - os DDT's (um chefe de um Governo com maioria absoluta que exerceu o cargo durante sete anos, o chefe do principal banco privado, os chefes da empresa de telecomunicações emblemática (a Nokia portuguesa) e com prestígio internacional, os chefes de uma forte construtora de obras públicas do regime e um ministro que (...)

da Parque Escolar 2.0

19.09.16
        A sensatez impôs-se e recomeça a imperativa requalificação de escolas. A Parque Escolar 1.0, "a festa", fez parte do capítulo "fuga para a frente" da desorientação financeira na Europa e daquelas "megalomanias" lusitanas. Com a lição em mente, espera-se, a Parque Escolar 2.0 apresenta uma ideia, "Novas (...)

Dos cúmulos: Crato em modo eleitoral

18.08.15
      É risível o "regresso", nesta altura, da Parque Escolar.SA. O montão de euros é decidido por Bruxelas, a exemplo do que aconteceu com Sócrates na desorientação europeia no pós-crise-do-subprime. As culturas pato-bravistas, partidocratas e bancocratas aceleraram a bancarrota. Depois de tudo o que se disse na campanha eleitoral anterior sobre as obras escolares, é um momento alto do ridículo que um ministro falhado, e há muito demissionário, se preste a este papel. (...)

a matriz privatizadora e a liberdade para ensinar

14.07.13
      Levará anos a recuperar a relação de confiança entre os professores e um qualquer Governo (onde se inclui a traquitana do MEC). O principal argumento que nos empurrou para esta insuportável desconfiança foi a matriz privatizadora do orçamento da Educação que integrou, no arco da governação, testas de ferro que paulatinamente desbravaram o caminho para o negócio na lógica das piores PPP´s. Nem se trata da privatização da gestão escolar conhecida noutras (...)

pensar o mundo

06.02.13
              Temos uma grande dificuldade em pensar e podemos afirmar que se pensa pouco. Foi mais ou menos assim que Manuel Maria Carrilho iniciou a sua conferência no auditório da ES R. B. Pinheiro nas Caldas da Rainha. O filósofo foi apresentado por Rui Grácio, que fez uma breve passagem pela obra "Pensar o Mundo", numa iniciativa do CFAE Centro-Oeste. Pensar o mundo e (...)

temporal

20.01.13
      Estive cerca de 24 horas sem internet, televisão e telefone fixo e "impedido" de publicar no blogue. O temporal que atingiu a zona onde resido fez estragos. Mesmo aqui ao lado, o telhado de uma recente obra da parque escolar andava a navegar pelas ruas ao sabor das rajadas de vento.

delírios

11.11.12
      Estamos num período de vale tudo. Discutir o investimento médio por aluno com argumentos tão esfarrapados só está ao alcance de pessoas delirantes. Francamente: incluir a "festa" da parque-escolar-sa nos débitos das escolas do Estado é tão válido como contabilizar o edificado e o espaço correspondente (a fórmula até pode ser a mesma do IMI) das milhares de escolas encerradas.   Por outro lado, incluir os investimentos em infra-estruturas pelas escolas não (...)

e até se tem esforçado

21.06.12
        Não podemos afirmar que Nuno Crato não se tem esforçado por se equiparar, mesmo que em algumas, poucas, matérias alinhe na ala oposta, a Maria de Lurdes Rodrigues. Dá ideia que a ex-ministra caiu nas boas graças de quem manda mesmo no país e Nuno Crato não deve desdenhar da graciosidade.   Apesar do preciosíssimo contributo do seu secretariado, Nuno Crato parece precisar de tempo para atingir um patamar semelhante. E convenhamos: não adoptou o mesmo registo tir (...)