Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

Onde Estão?

23.01.19
      De 2007 a 2015, o financiamento à banca (BPN, BES Novo Banco e BANIF), custou (fonte BdP) 12.600 milhões ao défice orçamental e 20.000 milhões à dívida pública. Aguardam-se os dados até ao início de 2019, mas é público que a CGD custou cerca 4.000 milhões em 2016 e 3.000 milhões em 2017. Também é seguro afirmar que os bancos valem cerca de 20% do valor injectado. É importante conhecer devedores, mas é curial recuperar capital. E com o que vamos vendo, e (...)

a "escola" do Paradise Papers

10.12.17
      Os Paradise Papers são mais um marco da decadência vigente. Tem "sido assim": por cada corte num salário ou pensão, uma quantia equivalente caminhou para um offshore e para uma fuga aos impostos; ponto final. É um desequilíbrio insustentável que obedeceu, e obedece, a um poder ubíquo muito difícil de vencer ou sequer atenuar; veja-se os processos de reestruturação das dívidas soberanas. "Ilha de Man, um “paraíso fiscal” com quatro mil milhões de euros de residentes em Portugal" (...)

o desesperado e o aquecimento financeiro

11.04.13
    François Hollande parece desesperado com o desvario bancário (para sermos brandos, claro) que o rodeia. O responsável financeiro pela sua campanha tinha muito mais capital do que o declarado e usava os paraísos fiscais. Sabe-se que utilizou uma das "mecas" dos ultraliberais: Singapura; veja-se lá como gente tão severa com os costumes dos fracos se dobra até mais não com o capital sem cor. Veremos até que ponto o presidente francês está envolvido na questão.   P (...)

passos

06.04.13
              A crise financeira tem uma relação directa com a corrupção e com os paraísos fiscais. Muitos dos esforços (há quem designe por saque a transferência histórica que se tem verificado) das classes média e baixa esfumam-se nestes "mercados" desregulados que os ultraliberais que governam teimam em absolver, embora já sejam poucos os que advogam a sua (...)