Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Da Trágica Falta de Professores

08.02.20
  Destaca o Expresso: "Envelhecimento ameaça deixar escolas sem docentes". Há cerca de uma década que se percebeu que isto ia acontecer, mas os avisadores foram rotulados de alarmistas. Pois bem: o grave problema passou de conjuntural (mais de metade dos professores, 52.000 são cerca de 60% dos que existem, reformar-se-á até 2030) a estrutural. A notícia também destaca o silêncio do Ministério da Educação. Aliás, é um antigo e ensurdecedor silêncio em relação ao (...)

Repitamos, Sr. Ministro das Finanças

07.02.20
Uma população mais escolarizada e menos pobre vai reduzindo, naturalmente, o abandono escolar e melhorando os resultados em testes internacionais como o PISA. Quando a sociedade estagna, as oscilações são, em regra, pequenas. É também o caso português. A partir da última década do século XX fomos diminuindo a pobreza e aumentando a escolaridade. Os resultados no PISA, por exemplo, melhoraram gradualmente neste século (a exemplo do abandono escolar precoce: 40% em 2000, 20% em (...)

O OE2020 e os Professores

06.02.20
Na aprovação do OE2020, o discurso do ministro das finanças incluiu um elenco de elogios a Portugal: somos dos melhores da Europa a lidar com a dívida pública, nas condições para o investimento, para viver, para fazer turismo e por aí fora, e na educação (citou o PISA e não vou agora repetir que o entusiasmo é exagerado). E quando Mário Centeno repetiu que os alunos, e só os alunos, estavam de parabéns, a sua bancada irrompeu em aplausos como não fizera em nenhum dos (...)

Orçamento 2020 "Sem Professores"

14.12.19
  Desde a "coligação" parlamentar que decidiu, na especialidade, "recuperar" todo o tempo de serviço dos professores que este grupo profissional passou a proscrito na generalidade. Não foi apenas porque o PM ameaçou demitir-se, foi também pelo que se seguiu. Os partidos da direita, os mais oportunistas na matéria, desdisseram-se de imediato, como era óbvio, e o BE e o PCP ficaram ainda mais anestesiados. Mas o pior centrou-se no fechamento de portas para o futuro, como se (...)