Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

da mesa negocial sobre os professores

25.07.18
      É este o resultado da comissão técnica? É isto que têm para dizer depois destas greves? Os sindicatos dizem que o Governo não tem dados rigorosos? Li várias notícias e concluí: a mesa negocial está em-estado-de-fingimento (ou a gozar?) e depois admira-se com a radicalização vigente com tendência a agravar-se. O Expresso apresenta o problema assim "Proposta para recuperar dois anos e 9 meses de tempo de serviço custa 180 milhões de euros. No final da reunião sobre os custos do descongelamento e da recuperação de tempo de serviço, o Governo voltou a reafirmar as suas contas e os sindicatos mantiveram as suas dúvidas.(...)Negociação política só em Setembro.(...) (...)

Da sociometria e da mesa negocial

21.07.18
      Preferência, rejeição e indiferença são as três escolhas que iniciam os estudos das relações de grupo. O estatuto menos desejável é a indiferença. No caso dos professores, não é saudável que a indiferença se estabeleça em relação aos actores da mesa negocial.  

Uma comissão técnica não é mais do mesmo?

15.07.18
        Passaram uns dias e confirmou-se: não houve um analista ou comentador que se interrogasse sobre a "criação da comissão técnica que apurará, ainda este mês, os números financeiros tão dispares da recuperação do tempo de serviço dos professores". E porquê o silêncio? Ninguém se interroga, mesmo os que opinam sobre tudo, a propósito do rigor nas contas do Estado? Ninguém se indigna por andar a discutir o que desconhece? Se já era inaceitável no final do (...)

Última hora para a cimeira governo vs professores

11.07.18
      "Mudar de maioria governativa implica trocar 4.000 empregos. Mas as máquinas têm ainda mais do que isso espalhado pelo país." Quando ontem ouvi que aumentaram os recibos verdes e que o acréscimo se deve "aos empregos partidários como formadores do IEFP e às avenças nas autarquias" (muito no espírito Tutti-Frutti), não só relacionei o acontecimento com os "4.000 empregos" como percebi o silêncio da generalidade dos partidos. Mas achei boa a sugestão de trocar (...)

Governo e sindicatos em reflexão aturada

09.07.18
    O Governo e a plataforma de sindicatos de professores estão, desde 3 de Julho de 2018, em aturada reflexão para a reunião, de 11 de Julho de 2018, convocada por um executivo de agenda sobrelotadíssima. Os membros da mesa negocial passarão os próximos dois dias em exercícios de consultoria enquanto os professores contabilizam mais de trinta dias de greve aos conselhos de turma.

Impressiona a resistência dos professores

06.07.18
      Impressiona a resistência dos professores. Assim de repente, já estarei perto da 20ª reunião de conselho de turma não realizada por greve e leio que há quem vá na 54ª. E no meio de tudo isto, a mesa negocial decidiu convocar (o executivo, como é evidente) a 3 de Julho uma reunião para 11 de Julho. É inclassificável que se espere oito dias por uma reunião imperativa. Dá ideia que o Governo não percebe que esta situação deixará marcas irreparáveis; ou, como (...)