Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Da Política e do Seu Sentido (2)

30.10.22
"Se o sentido da política é a liberdade, isso significa que neste âmbito - e em nenhum outro - temos o direito de esperar milagres. Não porque sejamos supersticiosos, mas porque, na medida em que podem actuar, os homens têm condições para realizar o inverosímil e incalculável e porque habitualmente o realizam quer saibam quer não."  Hannah Arendt (1906-1975

Dos Estádios e da Relação Entre Adeptos de Clubes Diferentes

18.09.22
A relação entre adeptos de clubes diferentes ajuda a perceber as sociedades. Como não aprecio multidões nem estádios, não sou a pessoa mais indicada para dar uma opinião.Mas encontrei uma passagem interessante sobre o tema que pode ler na imagem. É de Don DeLillo (2010:94), "Submundo", Sextante Editora, Lisboa.Por outro lado, assisti ao seguinte diálogo num noticiário televisivo:– Assaltaram o quarto do hotel onde estou de férias – disse o jovem profissional de futebol.– O q (...)

Viaje

31.08.22
  "Viaje segundo um seu projecto, dê mínimos ouvidos à facilidade dos itinerários cómodos e de rasto pisado, aceite enganar-se na estrada e voltar atrás, ou pelo contrário, persevere até inventar saídas desacostumadas para o mundo" José Saramago, Viagem a Portugal (Apresentação) Imagem: Cervo; algures em Julho de 2022.

O Rendimento

25.08.22
Recebi, com a imagem e por mensagem devidamente identificada, um pequeno texto de Côta Seixas. "O rendimento. Quando me preparava, na semana por vir, para apanhar o autocarro das 8 para o emprego das 9, aproximou-se de mim, saracoteando-se um burro. Já não era novo, mancava, faltavam-lhe dentes e pelo. Em saracoteado modo propôs-me, com voz proteica e prosódica, substituir-me no emprego em troca de feno regular e 2 albardas, uma para a semana, outra para missa de Domingo. Aceitei. (...)

Escala

24.08.22
A ideia mais ilusória, e nefasta, associada à globalização é o aumento da escala que, em consequência, coloca o indivíduo fora da centralidade. É como se o homem deixasse de ser o sujeito da acção. Encontrei uma passagem magistral sobre o tema.   DeLillo, Don (2010:72). "Submundo". Sextante Editora. Lisboa.

"Aquilo que nunca aconteceu"

17.08.22
  Recebi, com as imagens e por mensagem devidamente identificada, um pequeno texto de Côta Seixas. Tem que clicar em continuar a ler para ver as duas imagens. "Aquilo que nunca aconteceu há-de um dia acontecer. Ontem, quando regressava a casa, abordou-me um desconhecido. Apresentou-se, tirou o cigarro da boca, ou a boca do cigarro, não me lembro bem, e pediu-me para o seguir. No pátio interior de um prédio já ruinoso, mostrou-me, suspensos do céu, o Sol e a Lua. Está a (...)