Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

É a história de um velho e pobre pescador

06.03.24, Paulo Prudêncio
É a história de um velho e pobre pescador que tinha uma forte amizade com um rapaz. Há muito que não conseguia pescar. Certo dia, pescou o maior peixe da sua vida. Mas como não conseguiu impedir o furioso ataque de esfomeados tubarões, voltou a terra apenas com o esqueleto do enorme espadarte.  "- Que tens para comer? – perguntou o rapaz.  - Um tacho de arroz de peixe. Queres? – perguntou o velho. - Não. Como em casa. Queres que eu acenda o lume?  - Não. Acendo-o eu depois. (...)

Viaje

01.03.24, Paulo Prudêncio
  "Viaje segundo um seu projecto, dê mínimos ouvidos à facilidade dos itinerários cómodos e de rasto pisado, aceite enganar-se na estrada e voltar atrás, ou pelo contrário, persevere até inventar saídas desacostumadas para o mundo" José Saramago, Viagem a Portugal (Apresentação) Imagem: Cervo.

Como esvaziar os Ku Klux Klan´s desta vida (2)

20.02.24, Paulo Prudêncio
Steven Levitt é muito considerado no âmbito das ciências económicas norte-americanas. O seu livro Freakonomics (2006) faz perguntas pouco“académicas e obtém resultados surpreendentes. Achei muito interessante a história que motivou o descrédito da organização Ku Klux Klan. Stetson Kennedy, um lutador pelos direitos cívicos, infiltrou-se, a meio da década de 1940, no Ku Klux Klan para o estudar. Nessa época, "todas" as crianças viam na televisão, antes do jantar, o (...)

Do homem médio (2)

12.02.24, Paulo Prudêncio
Contactei a primeira vez com a formulação em título nos conselhos, sensatos para aquele contexto, diga-se, para sobreviver nos comandos: não te distingas, sê discreto e passa o mais possível despercebido. Vem isto a propósito dos especialistas que aconselham a enésima reforma de sentido único do estado social e para a conversão à absolutização da estatística. A sugestão para o tempo militar não subscreveu os modelos do tipo BPN ou BES. Nem as instâncias internacionais de (...)

Da Escala

10.08.23, Paulo Prudêncio
A ideia mais ilusória, e nefasta, associada à globalização é o aumento da escala que, em consequência, coloca o indivíduo fora da centralidade. É como se o homem deixasse de ser o sujeito da acção. Encontrei uma passagem magistral sobre o tema.   DeLillo, Don (2010:72). "Submundo". Sextante Editora. Lisboa.

Vergílio Ferreira (6)

22.07.23, Paulo Prudêncio
"Uma biblioteca é quase tão pessoal como as impressões digitais. Ela forma-se como os problemas que nos formaram a nós e outros virão a abandonar. Uma forma de o medíocre convencido imitar a grandeza é não dizer mal de ninguém. Porque a eternidade não se mede pela sua duração mas pela intensidade com que a vivemos. Pinta-se o galo mas não a galinha, o touro mas não a vaca. Porque o macho é que é testiculado. Mas à mesa o que se come é vaca ou galinha, mesmo que a (...)

"Pequenos Delitos do Coração"

21.07.23, Paulo Prudêncio
  "Pequenos delitos do coração" é um livro com textos de Helena Mendes Pereira e fotos de Lauren Maganete. Vi, na RTP2, uma entrevista à primeira. Enunciou um lema interessante: "estou disposta a pagar o preço necessário para buscar a minha liberdade absoluta". 2ª edição.

Era já uma Viena trágica

01.06.23, Paulo Prudêncio
"(...)Era já uma Viena trágica. Não podemos esquecer o paradoxo: a matriz - se assim me atrevo a dizer - da nossa cultura moderna, do nosso modernismo, e até mesmo pós-modernismo, mas já à sombra de um anti-semitismo cada vez mais feroz, e, sobretudo devido á catástrofe de 1914-1918, o troço decepado de um império que procurava - já então - o seu futuro na direcção da Alemanha.(...). Veja bem que foi um presidente do município de Viena, Karl Lueger, um homem muito (...)

A Economia

13.05.23, Paulo Prudêncio
Nota: "(...)O fármaco da dura austeridade, como observaram vários economistas, em vez de curar o doente, enfraquece-o de modo ainda mais implacável. Sem se interrogarem sobre os motivos que levaram as empresas e os Estados a endividarem-se - estranhamente, o rigor não faz mossa à corrupção que prolifera e aos chorudos ordenados de ex-políticos, administradores, banqueiros e conselheiros! -, os múltiplos orquestrares desta deriva recessiva não estão nada perturbados com o facto (...)

Como acabar com os Ku Klux Klan´s desta vida

15.03.23, Paulo Prudêncio
O inovador Steven Levitt é muito considerado, e há muito, no âmbito das ciências económicas norte-americanas. O seu livro Freakonomics (2006) faz perguntas pouco“académicas e obtém resultados surpreendentes.  Achei interessante a história sobre o que motivou o descrédito da organização Ku Klux Klan. Stetson Kennedy, um lutador pelos direitos cívicos, infiltrou-se, a meio da década de 1940, no dito movimento para o estudar. Pois bem. Numa época em que "todas" as (...)

Da Política e do Seu Sentido (2)

30.10.22, Paulo Prudêncio
"Se o sentido da política é a liberdade, isso significa que neste âmbito - e em nenhum outro - temos o direito de esperar milagres. Não porque sejamos supersticiosos, mas porque, na medida em que podem actuar, os homens têm condições para realizar o inverosímil e incalculável e porque habitualmente o realizam quer saibam quer não."  Hannah Arendt (1906-1975