Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

A Escola e o Limiar da Automatização

14.06.20
A pandemia fez menos pela substituição de professores por máquinas do que inicialmente se julgava. Apesar de apressadas declarações que pareciam incluídas numa corrida entre países para ver quem se antecipava no sucesso do ensino por internet, a realidade impôs-se: ainda estamos no tempo do ensino presencial com humanos como professores. Mas os pedagogos humanistas não se devem iludir: quem constrói os orçamentos dos estados não cederá na redução dos alunos por turma nem na (...)

A Escola, as Desigualdades e os Sinais

17.06.19
  Os colégios para ricos nos EUA estão, ao contrário da rede pública de escolas, a reforçar o ensino da História e da Filosofia. É um sinal importante que deverá obrigar a reflectir sobre o mercado de trabalho do futuro. Noutra latitude, o controverso ministro da educação em França está a reforçar o ensino das humanidades com particular evidência para o Latim e o Grego. Aliás, a primeira é já frequentada por 13% dos alunos. É este ministro que proíbe o uso de (...)

do tempo de humanidade(s); e de artes

02.12.17
      O sistema escolar desespera por um tempo de humanidade(s) - e de artes -: nos currículos, mas simultaneamente na ideia de escola. Se o Governo já cumpriu uma agenda e tenta a oxigenação do algoritmo de Costa&Centeno no sítio, quem diria, que o travou e desprezou, é tempo de olhar para o futuro do sistema escolar contrariando a absolutização do presente imposta recentemente. À desumanização da ideia de escola instituída por Sócrates&Rodrigues, seguiu-se a (...)

o inverno da investigação

07.01.14
      Dentro de duas décadas, se tanto, não teremos investigadores dedicados às Humanidades e Ciências Sociais e será difícil contratar professores para essas áreas.   A perplexidade com o desleixo do MEC acentua-se quando percebemos a preocupação de Nuno Crato com a formação de alguns professores do primeiro ciclo (onde há excesso de oferta) enquanto reduz a carga curricular nas Humanidades e Ciências Sociais (para não falar das Artes, das Expressões ou das disciplinas (...)