Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Das Greves dos Professores

19.11.22
A ideia do conformismo projecta-se na agenda negocial dos sindicatos dos professores decorrente da greve. Afinal, e para além das fundamentais questões salariais ou dos estafados concursos, sobra um conjunto vazio. É não só conformista como desistente.

Professores e Greves

11.12.20
Não está fácil para os professores. Com uma carreira delapidada e proletarizada, com uma avaliação kafkiana com cotas e vagas, com tempo de serviço por contar e desconsiderados no tratamento pandémico, não aderem a uma greve. O hábito de não adesão não é de agora, obviamente, mas em tão elevado número é um fenómeno recente que diz muito da grave crise do sindicalismo e das greves com calendários que nada dizem aos professores. O salve-se quem puder atinge todos e até (...)

Lições da Covid-19 e Greves

11.04.20
Vou lendo interessantes discussões sobre o direito à greve em estados de emergência. E lembrei-me dos eternos debates entre professores sobre a importância de se fazer "apenas" um ou dois dias de greve. Convenço-me que muitas opiniões mudarão depois desta fase em que é inquestionável o efeito da escola encerrada um dia que seja.

Os Professores e o Cilindro de Ciro

29.02.20
Os professores ainda não recuperaram todo o tempo de serviço nem beneficiaram duma qualquer mudança nas políticas específicas mais nefastas. Há, apesar do desânimo e da saturação, e muito naturalmente, uma atmosfera de revolta contida. Por exemplo, os professores mantêm uma longa greve ao sobre-trabalho (GST) que não inclui as actividades lectivas mas que coloca ruído na engrenagem que escapa à mediatização. É uma espécie de sinal de vida, depois de erros relevantes da (...)

Se A Greve de 31 de Janeiro Foi para Cumprir Calendário, Proponho Já a Próxima: a da Imagem!

02.02.20
  Se a greve de 31 de Janeiro foi para cumprir calendário, proponho já a próxima: a da imagem. Às tantas, terá a mesma eficácia. Três notas: 1. Se não se diz presente nas greves, os governos usam o argumento do "nem protestam". Compreendo a dificuldade de alguns sindicatos, numa época de crise do sindicalismo orgânico (por este caminho, não tarda e é de tudo o que é orgânico). São, infelizmente, cada vez mais longínquos os tempos de sincera negociação antes e após (...)

Em Dia de Greve

31.01.20
Em dia de greve, é plantada nos órgãos de comunicação social a seguinte notícia: "Quem se quiser reformar sem cortes em 2021 terá de ter, pelo menos, 66 anos e seis meses, de acordo com a portaria do Governo publicada esta sexta-feira em Diário da República. Em 2018, (...)