Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

ouçam

19.05.11
    Os cidadãos que exercem cargos políticos nos países da União Europeia têm definitivamente de ouvir, mas mais do que isso: têm de perceber que o que nos levou à hecatombe não pode regressar incólume; há que mudar de vida enquanto há tempo.   O Norte de África e o Médio Oriente não são assim tão distantes. Os países da Europa do Sul já receberam os sinais das "geraç (...)

decretada a falência

07.04.11
    Importa aprender com os erros. Um dos mais recentes, e que me convenceu definitivamente de que o anúncio da falência estava por dias, foi a forma como o pessoal do mainstream, desde o chefe do governo de gestão a Pacheco Pereira, desdenhou da geração à rasca. Chegou a ser indecoroso.   A lição de democracia, e de cidadania, na manifestação daquelas 200 mil pessoas foi um grito de indignação que devia envergonhar a geração da ganância e das benesses ilimitadas e os (...)

empurrados

23.03.11
    Dá ideia que Manuel Alegre apoia a continuidade do actual primeiro-ministro. Se é assim, está ainda mais explicado o seu último resultado eleitoral. Concordo quando refere que Cavaco Silva incendiou de alguma forma a vida política. Todavia, deveria acrescentar que o presidente em último mandato (finalmente) foi empurrado pelos acontecimentos; e não foi só ele, foi todo o arco da governação de braço dado com a oposição oficial. Aliás,

digam o que disserem

22.03.11
    Se tomarmos como referência as semanas que antecederam a geração à rasca e o próprio acontecimento, e se comparamos a intensidade política antes e depois disso, temos fortes motivos para acreditar que o mundo mudou muito e que os exercícios de cidadania nunca são em vão.

em directo

15.03.11
    O acordo com os camionistas foi anunciado mesmo no final de uma entrevista em directo ao chefe do governo na SIC generalista. Como não sou nada dado a teorias da conspiração, vou lançar um outro dado que pode ajudar a pensar. Não pude estar em Lisboa, no sábado, para assistir à célebre manifestação e conviver com os meus colegas. Mas (...)

encenação ao centro

11.03.11
    Desde o acordo para o orçamento de 2011 que os partidos políticos do centro conjugam o verbo articular sem ser só por fumos. A revogação da reorganização curricular foi a resposta assustada à geração à rasca (na manifestação de amanhã, e apenas porque vem a propósito, não ficarão nada bem os protagonismos datados e de ocasião) uma vez que a medida atingia (...)

não gostei

08.03.11
      Não gostei da sobranceria (isto para ser brando) que o chefe do governo usou para se referir aos jovens que interromperam, em Viseu, um comício do PS. Foi de muito mau gosto que tivesse dito que era uma partida de Carnaval e demonstrou como a estratosfera portuguesa, que viveu de benesses ilimitadas e de outras coisas mais, não (...)

12 de março e a meia-volta do medo

27.02.11
    Tenho escrito alguns posts a propósito dos movimentos de cidadãos que nascem nas redes sociais. É bom que se leia o caderno de encargos destes movimentos. A "Geração à rasca" e o "1 milhão na Avenida da Liberdade pela demissão de toda a classe política" vão chegar à rua a 12 de Março. Vasco Pulido Valente é um pessimista e hoje no Público lê o estado político actual assim: "Porquê esta paz podre? Por uma razão muito simples, porque, do Presidente da República ao (...)