Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

E regressam os prémios financeiros por desempenho?!

23.01.24
E regressam os prémios financeiros por desempenho?! E os critérios para a atribuição? Estas ideias resultam sempre numa aplicação trágica (basta clicar em france telecom nas tags do post). Foi exactamente com este discurso que os governos das terceiras vias socialistas e sociais-democratas, e, de resto, de toda a direita, começaram a perder as pessoas. Impõe-se uma interrogação: (...)

Para além da exaustão, é sempre o medo e até o medo de voltar a ter medo

28.09.23
Sinto-me profissionalmente realizado, mas algo desiludido civicamente (embora nunca tenha sido um iludido; mais um optimista e um inconformado com sentido de justiça) com a generalidade do que me rodeia; e 20 anos intensos de blogue dão uma boa visão do país (e o grave caso STOP não me surpreendeu). No caso dos professores, há algumas atenuantes como escrevi em 3 de Junho de 2011: "(...)N (...)

Novamente o Medo de Ter Medo

28.12.22
Escrevi em 3 de Junho de 2011: "(...)Não sei se o caso France Telecom foi consciente. Não tenho dados para o veredicto. Do mesmo modo, permito-me dar lugar aos que especulam que o que se viveu em Portugal nos últimos anos foi de premeditação inconsciente embora com resultados igualmente desastrosos. O que mais me impressionou neste período, e que me oxigenou a não desistência, foi a (...)

Medo de Ter Medo

06.11.22
A propósito do texto de Mário Silva que publiquei ontem, lembrei-me do que escrevi em em 3 de Junho de 2011: "Não sei se o caso France Telecom foi consciente. Não tenho dados para o veredicto. Do mesmo modo, permito-me dar lugar aos que especulam que o que se viveu em Portugal nos últimos anos foi de premeditação inconsciente embora com resultados igualmente desastrosos. O que mais me (...)

Medo de Ter Medo

29.06.22
Em 3 de Junho de 2011 escrevi assim: "Não sei se o caso France Telecom foi consciente. Não tenho dados para o veredicto. Do mesmo modo, permito-me dar lugar aos que especulam que o que se viveu em Portugal nos últimos anos foi de premeditação inconsciente embora com resultados igualmente desastrosos. O que mais me impressionou neste período, e que me oxigenou a não desistência, foi a (...)

"O medo como herança"

07.05.21
Em 3 de Junho de 2011 escrevi um texto, que se chamou "O medo como herança". "Não sei se o caso France Telecom foi consciente. Não tenho dados para o veredicto. Do mesmo modo, permito-me dar lugar aos que especulam que o que se viveu em Portugal nos últimos anos foi de premeditação inconsciente embora com resultados igualmente desastrosos. O que mais me impressionou neste período, e que me (...)

Extremos Escolares e Sinais

16.01.20
  Por vezes, é necessário um caso dramático para que as consciências acordem. Recordo-me muitas vezes do caso France Telecom: só ao 35º suicídio é que se decretou o fim do modelo kafkiano de avaliação do desempenho. Com as devidas distâncias, dá ideia que apenas um caso extremo parará os "teóricos da selva" que mantêm esta avaliação dos professores e doutros profissionais.

Para Além do Humano

22.01.19
      "Nem um calceteiro pode ser avaliado de um modo puramente quantitativo e meritocrático", é uma evidência que devia ser óbvia nas sociedades modernas. Se um político afirmar que a primazia da avaliação do desempenho leva o medo às empresas, a maioria das pessoas sorrirá com a "manifestação de fraqueza" e os comentadores mainstream colocarão a "impossibilidade quantitativa" como uma inevitabilidade competitiva da pós-modernidade.  A avaliação quantitativa (...)