Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

Do Dever de Indignação

10.11.19
    O último "prós e contras" abriu com o testemunho de um professor: "já fui agredido sete vezes". Para além da coragem, não é difícil imaginar a brutalidade que um depoimento destes acarreta. Pelo que percebi, e com excepção da moderadora, não se registou a solidariedade ao agredido que estava presente e que até fez mais do que uma intervenção. Ao que saiba (e é seguro dizê-lo propositadamente quase uma semana depois), o Governo não emitiu uma nota indignada e (...)

Motivação e Infantilização

08.11.19
  Pelo que se vai lendo, os professores do ensino superior queixam-se da infantilização dos alunos na relação com uma ideia: “não é o professor que tem de motivar”. Dizia-me há dias um colega desse grau de ensino: "tive que pedir desculpa, mas não recebi os encarregados de educação. O aluno tinha 21 anos e frequentava o 3º ano da licenciatura. Confirmei posteriormente o que justificou a recusa e fiquei sem qualquer problema de consciência". Para este estado de coisas, (...)

A Escola no Limiar da Tempestade

...Já só os alunos dão ânimo aos professores...

27.10.19
  Acentua-se a falta de professores e os que existem estão, em regra, descrentes, agastados ou radicalizados. Já "só os alunos dão ânimo aos professores", apesar do ruído relacional quando o smartphone é uma dependência central na vida dos alunos. Para além disso, a sociedade contamina a disciplina escolar porque a mediatização diária dos conflitos educativos é geralmente conduzida por analistas, comentadores e dirigentes políticos que se entretêm a reforçar a sabida (...)

A Propósito do Pico Mediático da Indisciplina Escolar

Houve um choque de desconfiança nos professores: o cliente tem sempre razão não se aplica às escolas

23.10.19
  Não se conhecem culpas quando a democracia é empurrada para um degrau inferior. Mas decerto que haverá. A escola, por exemplo, pode dar um importante contributo, em duas ou três gerações, para a consolidação da democracia ou para a sua fragilização. Comprova-se, por muito difíceis que sejam os estudos empíricos, a relação directa e proporcional entre a qualidade democrática das escolas, a ambição escolar dos alunos e a confiança nos professores. E a ambição escolar (...)

Ainda há quem se surpreenda com estas notícias?

20.12.18
    Na sequência de outros estudos com conclusões semelhantes (e muito preocupantes), é factual que os últimos anos acentuaram uma escola excessivamente competitiva. É evidente que o actual acesso ao ensino superior condiona todo o edifício educativo. Para além disso, os alunos perderam os espaços não supervisionados. O "espaço livre para brincar" desapareceu. A sociedade capturou a organização escolar com detalhes elucidativos: eliminação do "furo" escolar, redução de (...)

A escola e a fragilização da democracia

28.10.18
      Não se conhece uma assumpção de culpa quando a democracia é empurrada para um degrau inferior. Mas decerto que há justificações. A escola pode dar um importante contributo, em duas ou três gerações, para a consolidação da democracia ou para a sua fragilização. Comprova-se, por exemplo, a relação directa e proporcional entre a qualidade democrática das escolas, a ambição escolar dos alunos e a confiança nos professores, por muito difíceis que sejam esses (...)

A ambição escolar, o curto prazo e a confiança nos professores

27.10.18
        A relação entre a qualidade da escola e a ambição escolar dos alunos é directa e proporcional. Embora sejam difíceis os estudos empíricos num assunto que exige modelos consolidados, é seguro afirmar que os alunos são decisivos.  A ambição escolar é tão determinante como as condições socioeconómicas. Como Portugal apresenta taxas elevadas de insucesso e abandono escolares, é natural que a desorientação, e a constante alteração de políticas, seja (...)