Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

"Mais de 6 mil Docentes no Topo", diz o Expresso na 1ª página

19.01.20
"Mais de 6 mil docentes no topo", diz o Expresso na 1ª página (e o Público anteontem). É a insistente estratégia comunicacional da última década e meia, com o objectivo de precarizar os professores que ainda são cerca de 47% da administração central; e o olhar orçamental não resiste em desinvestir nos professores. E é também por isso que a crescente falta de professores é imparável. Já nada há a fazer de civilizado para o curto e médio prazos. Por exemplo, a ideia (...)

6.000 Professores no 10º Escalão

17.01.20
"Os professores não podem chegar todos ao topo", é a frase da última década e meia; e regressou. Faça-se um ponto prévio: algo de sério está a suceder quando a sociedade não se questiona sobre a perda de direitos adquiridos (leu bem) e fundamentais que exigiram lutas determinantes. Disse um comentador: "os professores chegam todos ao topo. Não pode ser". O homem estava possesso. Usou o raciocínio das hierarquias militares sem pensar nas diferenças dos conteúdos funcionais. (...)

Da Falta de Professores

15.01.20
Prossegue a espécie de precarização mais ou menos acelerada enquanto na estratosfera se debitam irrealidades escolares; e não adianta argumentar que os professores estão cansados para mudanças, quando as alterações propostas são mais antigas que a data de entrada na carreira dos professores com mais anos de ensino (sei que não é moderno falar de ensino): "Professores de Inglês a dar aulas de Português e os de História a dar Geografia: falta de docentes leva Ministério a medidas urgentes", (...)

Professores e "Nuvem Humana"

28.12.19
2ª edição "Podemos chegar a um futuro em que uma parte da força de trabalho desenvolverá diferentes tarefas para assegurar o seu rendimento - pode-se ser um motorista da Uber, um shopper do Instacart, um anfitrião do Airbnb e um Taskrabbit", Klaus Schwab (2017:46), "A Quarta Revolução Industrial".  Ou seja, é pertinente a interrogação (bem fundamentada) que coloca os professores contratados neste nível de precariedade. Aliás, o facto da profissão de professor não (...)

Orçamento 2020 "Sem Professores"

14.12.19
  Desde a "coligação" parlamentar que decidiu, na especialidade, "recuperar" todo o tempo de serviço dos professores que este grupo profissional passou a proscrito na generalidade. Não foi apenas porque o PM ameaçou demitir-se, foi também pelo que se seguiu. Os partidos da direita, os mais oportunistas na matéria, desdisseram-se de imediato, como era óbvio, e o BE e o PCP ficaram ainda mais anestesiados. Mas o pior centrou-se no fechamento de portas para o futuro, como se (...)

A Falta de Professores e 11 Anos de Avisos

13.12.19
  Atrevo-me a dizer que é um texto que antecipou com fundamento a falta de professores.   Escolas sem oxigénio.  Texto publicado em 11 de Fevereiro de 2008. Estive presente numa reunião de professores, realizada numa das escolas das Caldas da Rainha, para escutar um movimento que nasceu na blogosfera e que se destina a manifestar a mais veemente discordância com o regime que se prevê que venha a organizar a avaliação dos professores do ensino básico e secundário.  Encon (...)

E ao 1º Dia da Pré-Reforma

11.12.19
  Mais uma vez, e de acordo com as expectativas, a pré-reforma não deu qualquer sinal de vida no 1º dia de novidades. Aliás, desde a campanha eleitoral para as legislativas que é proibido falar da carreira dos professores.

Perplexidades

01.12.19
    "Há 30 anos caiu a barreira que dividia Berlim, mas as divisões entre nações não acabaram. Os últimos tempos demonstram que as políticas nacionalistas regressam em força, milhares de quilómetros de vedações foram erguidos e, aos poucos, até as divisões mentais se acentuam, através da proliferação do medo e da raiva. Perceber como nos temos dividido, tantas vezes sem nos darmos conta, é essencial para compreender as mudanças que abalam o mundo", escreveu Tim (...)