Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Verdade e Democracia

22.08.20
Se havia alguma apreensão com a capacidade das democracias lidarem com pandemias, os cidadãos deram uma resposta positiva aos mais diversos níveis. Desta vez, e perante tantas, e naturais, incertezas da comunidade científica, os cidadãos usaram a quantidade inédita de informação disponível para anteciparem as medidas mais polémicas de isolamento social. Outro dado importante é a prevalência da verdade nas democracias e o consequente clima de confiança que origina. Os (...)

Biden, Sanders e Trump

03.06.20
É opinião corrente de que Trump será reeleito; faça o que fizer. E o principal argumento do mainstream português é a fraqueza de Biden como candidato. São os mesmos que consideraram Sanders uma impossibilidade eleitoral por ser de esquerda com pouco centro. Defendem que os EUA jamais elegerão um candidato radical. Pois bem, e se dúvidas havia, Sanders não pode ser mais radical do que Trump, mas, e ao contrário deste, tem provas dadas como democrata. Às tantas, Trump acaba por (...)

Coletes Laranjas em Itália

31.05.20
Se a Europa já estava a ser desestabilizada pelos mentores não europeus, e europeus, do brexit, a crise da pandemia torna tudo mais difícil. A resposta à crise através do euro é fundamental para a garantia da paz. O dinheiro, através de uma moeda sólida, é um dos imaginários que mais consolida a crença dos humanos nos ideais de comunidade; cria confiança. Mas isso não impede que coletes laranjas se manifestem em Itália a favor do regresso da lira, num país que será (...)

Chegam Tarde, mas Chegam

30.01.20
A marcante crise petrolífera de 1973 inaugurou o período de incertezas na Europa. Portugal chegou atrasado, uma vez que terminava um período de ditadura, e de guerras coloniais, que atrasou o país nos mais diversos domínios. Quando grande parte da Europa atingia um bom patamar democrático, Portugal ainda percorria fenómenos de massificação e só conheceu o clima de incertezas nos finais do século passado e na primeira década deste. É evidente que a crise de 2008, e tudo o que (...)

Da Analítica da Actualidade

28.01.20
A frase de Winston Churchill, "a democracia é o pior dos regimes, à excepção de todos os outros", tornou-se vulgar, mas continua oportuna. Importa sublinhar que a defesa da democracia não acolhe o acriticismo; pelo contrário. Nota-se a incomodidade da totalidade do sistema orgânico, digamos assim, com os processos leaks. Advogam o silêncio em nome do que existe. Evocam o perigo da queda nos extremos; nomeadamente nos movimentos políticos fascistas que devastaram a Europa no (...)

Da Ascensão da Extrema-Direita

02.01.20
  A riqueza acumulada numa minoria não é taxada, nem redistribuída, e acentua as desigualdades. O crescimento económico não será a "maré enchente que subirá todos os barcos" porque os governos não têm meios jurídicos para contrariar o neoliberalismo vigente em modo global e agrava-se porque a história da distribuição da riqueza é política e, repitamos, lê-se em dois clássicos: "Riqueza das Nações" de Adam Smith e "O capital no século XXI" de Thomas Piketti. Apesar (...)

Quanto Pior

30.10.19
  Dá ideia que a popularidade de Trump, Boris e Bolsonaro aumenta com as tiradas inenarráveis diárias; e percebe-se que muitas vezes são genuínos num surrealismo perigosíssimo para a democracia. Como é isto possível? Desde logo, com as origens da crise de 2008 e com o comportamento de inúmeros governantes dos países ocidentais como é exemplo o ex-primeiro-ministro português (eleito com maioria absoluta momentos da antes da referida crise); e isto é independente do (...)

Explicações

19.09.19
  A acumulação de riqueza numa minoria associada à impossibilidade de taxação do capital, impede a justa redistribuição dos ganhos económicos e a atenuação das desigualdades. Se conjugarmos o que foi dito com o sistemático "varrer para debaixo do tapete" das pequenas e grandes corrupções, temos uma explicação para a perigosa crise das democracias ocidentais.

Compra, Claro

28.08.19
  Se o Reino Unido sair, com ou sem acordo, da UE, Trump compra-o; e quanto mais depressa melhor, antes que a decadência financeira dos EUA influencie a sua reeleição.