Em busca do pensamento livre.

Quinta-feira, 11.10.18

 

 

 

Tropeçamos diariamente com coisas do género: "Ex-porta-voz da PJ Militar subalugava casa das Forças Armadas no Airbnb".



publicado por paulo prudêncio às 13:59 | link do post | comentar | partilhar

Sexta-feira, 03.08.18

 

 

 

Salamandra é o título de mais uma boa série exibida pela RTP2. A 2ª série termina hoje e promete. Salamandra é o nome de uma sociedade secreta que domina o poder na Bélgica, principalmente através do negócio de diamantes africanos (Belgas e Holandeses são há muito poderosos na matéria). Paul Gerardi é um investigador determinado e não raramente apelidado de "louco e obcecado" pelos que teimam em não acreditar na existência da Salamandra e, principalmente, no seu poder.

 

images

 



publicado por paulo prudêncio às 10:56 | link do post | comentar | partilhar

Terça-feira, 31.07.18

 

 

É tal o desvario imobiliário na zona histórica de Lisboa, que uma casa com 11 cozinhas esteve à venda por quase 6 milhões de euros. O assunto mediatizou-se e revelou - na defesa e no ataque - o tradicional e nefasto clubismo: é nos clubes como nos partidos, nos países, nas cidades, nos bairros, nas escolas e até nas praias. E, como se vai percebendo, o fenómeno aprende-se de pequenino e parece em crescendo. Vá lá: o vereador proprietário das 11 cozinhas demitiu-se.



publicado por paulo prudêncio às 11:39 | link do post | comentar | partilhar

Quarta-feira, 18.07.18

 

 

 

Foi em Fevereiro de 2014 que se mediatizou a Parvalorem.SA, criada para "nacionalizar" o BPN, por causa da intenção de venda dos Miró. Como o nome sugeriu, foi uma espécie de "façamos os populares de parvos". Quatro anos depois, nada mudou: "Estado atribui carros topo de gama a 23 ex-gestores do BPN. A empresa pública Parvalorem atribuiu a um grupo de altos quadros da empresa, ex-responsáveis do antigo BPN, 23 “viaturas familiares” topo de gama, a quem paga ainda o combustível até 300 euros por mês, bem como seguros e parques de estacionamento."

 

16571445_Rq4ho

Antero



publicado por paulo prudêncio às 15:58 | link do post | comentar | partilhar

Quarta-feira, 11.07.18

 

 

 

"Mudar de maioria governativa implica trocar 4.000 empregos. Mas as máquinas têm ainda mais do que isso espalhado pelo país." Quando ontem ouvi que aumentaram os recibos verdes e que o acréscimo se deve "aos empregos partidários como formadores do IEFP e às avenças nas autarquias" (muito no espírito Tutti-Frutti), não só relacionei o acontecimento com os "4.000 empregos" como percebi o silêncio da generalidade dos partidos. Mas achei boa a sugestão de trocar anos de serviço dos professores por estes financiamentos todos. Pelo menos, o argumento financeiro esgotava-se.

É um pequeno contributo para a summit que ocorrerá esta tarde. Estava para repetir o português arcaico do título, "cimeira", mas dei-lhe um ar digital para ser positivo.



publicado por paulo prudêncio às 14:46 | link do post | comentar | partilhar

Sexta-feira, 29.06.18

 

 

 

Para além do resultado da investigação que vai ler, há toda uma teia de influências com base no caciquismo, na corrupção e na partidocracia. É visível e não é de agora. Mas se ler a notícia, verá que há mais motivos para temer o futuro com a municipalização porque as novas gerações incluem "bons" alunos: "Ex-JSD suspeitos de criarem uma teia de influências nas autarquias. Objectivo desta rede era angariar negócios, mas também financiar o próprio PSD. Socialistas também terão participado no esquema".



publicado por paulo prudêncio às 09:54 | link do post | comentar | partilhar

Domingo, 13.05.18

 

 

 

A investigação na Parque Escolar é o destaque da 1ª página do Expresso. Há uma antiga ideia holística da pedagogia que é oportuno repetir: "tudo-está-ligado-a-tudo-e-nada-está-solto-de-nada". Ou seja, os grupos envolvidos nas obras da Parque Escolar.EPE foram alegadamente favorecidos pelo mesmo poder político que supostamente beneficiou alguns "privados" escolares. Eram portas giratórias. Considerando os parcos recursos dos investigadores e o sobreaquecimento político, leio elogios ao difícil jornalismo de investigação e às reportagens sobre educação da jornalista Ana Leal. É justo. Em vários concelhos (Caldas da Rainha é um exemplo das políticas referidas), dezenas de professores não leccionariam actualmente nas escolas públicas se a jornalista Ana Leal não mediatizasse verdades inconvenientes que o tempo reforça. Os efeitos são mesmo uma excepção à indignação muito ouvida numa sociedade doente em organizações fundamentais para o estado de direito: "mas depois nada acontece".

 

Nota: a propósito, recordo os professores "alucinados que imaginavam coisas" porque diziam que o objectivo seguinte era a "privatização" da Parque Escolar.

  

Captura de Tela 2018-05-12 às 13.27.09

 



publicado por paulo prudêncio às 13:23 | link do post | comentar | partilhar

Quinta-feira, 10.05.18

 

 

 

O momento é de sobreaquecimento político e ouvem-se elogios aos jornalistas de investigação com destaque para a coragem da jornalista Ana Leal. Conheço bem os detalhes das políticas de educação neste período de "queda sem fim" da sociedade portuguesa, nomeadamente a relação com alguns "privados" escolares. Resido nas Caldas da Rainha (um conhecido epicentro) e muitos professores que leccionam nas escolas públicas deste concelho não o fariam se a jornalista Ana Leal não tivesse mediatizado verdades inconvenientes que os factos recentes sublinham.



publicado por paulo prudêncio às 22:41 | link do post | comentar | partilhar

Segunda-feira, 07.05.18

 

 

 

Desenvolvimentos de um processo de implosão:

 

Fernanda Câncio: “Sócrates urdiu uma teia de enganos. Mentiu, mentiu e tornou a mentir”

 

"O ex-primeiro-ministro “mentiu tanto e tão bem” que conseguiu que muita gente séria não só acreditasse nele como o defendesse, em privado e em público, aponta Fernanda Câncio, jornalista e ex-namorada de José Sócrates, num texto de opinião publicado esta segunda-feira no “Diário de Notícias”

 

José Sócrates “mentiu ao país, ao seu partido, aos correligionários, aos camaradas, aos amigos” e aos que tinha “mais próximos”, escreve Fernanda Câncio - jornalista com quem o primeiro-ministro socialista manteve uma relação próxima no passado -, num texto de opinião publicado esta segunda-feira no “Diário de Notícias”.(...)"



publicado por paulo prudêncio às 15:59 | link do post | comentar | partilhar

Sexta-feira, 04.05.18

 

 

 

Existe na Europa uma forte ofensiva contra a democracia que se alimentará dos desvios dos principais actores dos partidos políticos "estruturantes". Se no caso português ainda estamos no início do conhecimento da realidade, será, como alguém disse, a "tempestade perfeita".



publicado por paulo prudêncio às 11:36 | link do post | comentar | partilhar

Quinta-feira, 03.05.18

 

 

 

1fc0073f4876e612ae80853607945591

 

Faz tempo que se associaram duas frentes polares (alguns "privados" escolares com as políticas educativas do Governo de Sócrates) contra os defensores da escola pública, que ainda suportaram as intempéries da frente glaciar do Governo de Passos. Agora que se conhecem as acusações tempestuosas do Ministério Público às duas primeiras (novamente o tempo e a sua relação com a verdade), será elucidativo do clima a que isto chegou conhecer os alegados alertas do Governo de Passos ao antecessor sobre as intenções da justiça (uma máquina demasiadas vezes lenta ou com dificuldades optométricas).

 

Imagem daqui



publicado por paulo prudêncio às 20:38 | link do post | comentar | partilhar

Sábado, 28.04.18

 

 

 

Já se precebeu o motivo do recorrente silêncio político sobre a sucessão de fugas do género "panama papers": o temor com os papéis.

 

A primeira página do Expresso tem mais um pré-aviso?

 

mw-860



publicado por paulo prudêncio às 11:14 | link do post | comentar | partilhar

Domingo, 22.04.18

 

 

 

s-voUkmGnIiau8bSb5iN6pIkUle3Y

 

Imagem encontrada aqui.



publicado por paulo prudêncio às 15:48 | link do post | comentar | partilhar

Domingo, 01.04.18

 

 

 

A Associação de Bancos Portugueses comprometeu-se a "recuperar o capital desviado (em fuga aos impostos e imparidades) para offshores e devolver já em Junho de 2018 uma parte significativa (20 mil milhões de euros) dos contributos do estado". O Governo usará esse excedente orçamental para liquidar dívidas (credores internacionais com identidade e funcionários públicos) e normalizar os sectores sociais.



publicado por paulo prudêncio às 11:41 | link do post | comentar | ver comentários (4) | partilhar

Quarta-feira, 28.03.18

 

 

 

O ano de 2017 do Novo Banco terminou com "prejuízos recorde de quase €1400 milhões". São, em grande parte, as imparidades (escriturado superior ao executável). Mas afinal os produtos tóxicos não ficaram no banco mau? Enfim: estamos perante a interminável tragédia da bancocracia.



publicado por paulo prudêncio às 18:29 | link do post | comentar | ver comentários (4) | partilhar

Sábado, 24.03.18

 

 

 

 

Captura de Tela 2018-03-23 às 21.52.59

Cópia de Captura de Tela 2018-03-23 às 21.52.59

 

Luís Afonso



publicado por paulo prudêncio às 09:54 | link do post | comentar | partilhar

Sexta-feira, 02.03.18

 

 

 

 

Captura de Tela 2018-03-02 às 07.55.08

 

 

Pode ler aqui.



publicado por paulo prudêncio às 07:55 | link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar

Domingo, 21.01.18

 

 

 

 

1194758

Cópia de 1194758

 

Luís Afonso



publicado por paulo prudêncio às 19:09 | link do post | comentar | partilhar

Quarta-feira, 13.12.17

 

 

 

"As denúncias que, há mais de um ano, chegavam ao ministério desapareceram. Uma das últimas originou o inquérito em curso da inspecção do trabalho. Entretanto, o jornalismo de investigação mediatizou o assunto e em 48 horas demitiram-se um SE e a presidente da Raríssimas e o ministro do trabalho é chamado ao parlamento pelo seu partido". Concordo com esta observação radiofónica. O jornalismo de investigação tem muita força. Já o comprovou noutras causas perdidas no tempo. É evidente que a mediatização televisiva tem ainda mais força e o caso Raríssimas retira energia aos que reduzem o denominado jornalismo de investigação a "sensacionalismo para audiências". 

 

Adenda às 22.05: discordo que se mediatize a vida privada.

 

investigac3a7c3a3o

 

 



publicado por paulo prudêncio às 12:24 | link do post | comentar | partilhar

Segunda-feira, 11.12.17

 

 

 

Percebe-se a indignação com o caso "Raríssimas"; nas instituições que acolhem crianças, custa ainda mais a digerir. Pelo que se vai percebendo, "uma denúncia anónima" tornou, ainda em Novembro, pública a informação. Parece que a mediatização colocará o processo noutro nível de responsabilidade. Como alguém dizia, espera-se um inquérito em toda a profundidade e que se cruzem todas as possíveis pontas soltas. Fica sempre a perplexidade e a interrogação: como foi isto possível?

 

image

Nota: só agora vi o vídeo completo. Está de parabéns a Ana Leal. Confesso: esta gente enjoa mesmo. Como compreendo os que se querem bem longe destes meandos da estratosfera. E ninguém reparou? Nem os avençados ou membros dos órgãos sociais?



publicado por paulo prudêncio às 14:32 | link do post | comentar | ver comentários (2) | partilhar


Inauguração do blogue
25 de Abril de 2004
Autor:
Paulo Guilherme Trilho Prudêncio
Discordâncias:
Mais até por uma questão estética, este blogue discorda ortograficamente
arquivo
comentários recentes
O Paulo sabera que o Salazar foi eleito o maior Po...
Esta e uma eleicao parcial para deputado no parlam...
https://www.publico.pt/2012/06/25/mundo/noticia/he...
https://www.publico.pt/2015/04/13/mundo/noticia/jo...
Só aqui e não encontro mais referências https://co...
Obrigado. Mas não li mal. Já tento confirmar. Mas ...
Leu mal. O Fidesz de Orban governa todos os condad...
subscrever feeds
mais sobre mim
Por precaução
https://www.createspace.com/5386516
ligações
blog participante - Educaá∆o - correntes .jpg
tags

antero

avaliação do desempenho

bancarrota

bartoon

blogues

campanhas eleitorais

cartoon

circunstâncias pessoais

concursos de professores

contributos

corrupção

crise da democracia

crise da europa

crise financeira

desenhos

direitos

economia

educação

escolas em luta

estatuto da carreira

falta de pachorra

filosofia

fotografia

gestão escolar

história

humor

ideias

literatura

luís afonso

movimentos independentes

música

paulo guinote

política

política educativa

professores contratados

público-privado

queda de crato

rede escolar

ultraliberais

vídeos

todas as tags

favoritos

bloco da precaução

pensar o sistema escolar ...

escolas sem oxigénio

e lembrei-me de kafka

as minhas calças brancas ...

as minhas calças brancas ...

reformas e remédios (1) -...

sua excelência e os númer...

posts mais comentados
Razões de uma candidatura
https://www.createspace.com/5387676