Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

da blogosfera - O Meu Quintal

06.04.17
    Hoje, no I   "Educação: Por uma Flexibilização Coerente   (...)Ao longo dos últimos 25 anos tivemos vagas sucessivas de retórica e legislação anti-insucesso com as mais variadas legitimações: ou porque é pedagogicamente infrutífero reter os alunos, ou porque isso lhes abala a auto-estima, ou porque é uma “chaga social” ou, de forma mais (...)

Um bom retrato do 25 de Abril

25.04.16
      "Em Portugal sabiam tudo, não tinham dúvidas e nem sequer podíamos fazer perguntas. Cheguei a Londres, fui investigar com os melhores do mundo e eles nada sabiam, estavam cheios de dúvidas e ávidos de quem os questionasse", foi mais ao menos assim que a investigadora da área de medicina descreveu a mudança da Faculdade de Medicina de Lisboa para o mais conceituado centro de investigação, na Grã-Bretanha, durante a ditadura portuguesa (finais dos anos sessenta).   É um (...)

o melhor retrato a propósito do 25 de Abril

28.04.14
        "Em Portugal sabiam tudo, não tinham dúvidas e nem sequer podíamos fazer perguntas. Cheguei a Londres, fui trabalhar como investigadora com os melhores do mundo e eles nada sabiam, estavam cheios de dúvidas e ávidos de quem os questionasse", foi mais ao menos assim que uma investigadora da área de medicina descreveu a sua mudança da Faculdade de Medicina de Lisboa para o melhor centro de investigação no mundo, situado na Grã-Bretanha, durante a ditadura portuguesa (...)

quizá

20.11.13
      Pode ler uma outra forma de afirmar o algoritmo que não me cansarei de repetir. Na minha modesta opinião, o pior que pode acontecer a uma sociedade é ausentar-se da Educação e deixar à escola um caderno de encargos insuportável e impossível de cumprir.  

Manual prático de criação de rendas na Educação (a partir da verdade inconveniente da TVI)

17.11.13
          Se o texto que vai ler tivesse sido publicado há uns anos num jornal local da zona centro do país com o título "Golpe", o seu autor seria considerado um perigoso sei lá o quê que talvez não estivesse no seu perfeito juízo. Actualmente não é assim. Há quem pegue na "verdade inconveniente", embora não se leia uma voz dos partidos do arco da governação sobre o assunto. Estes não se chocam. (...)