Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Alguém que informe o PSD

01.10.23, Paulo Prudêncio
Alguém que informe o PSD que os professores reformados não podem recuperar tempo de serviço. A proposta de recuperação em 5 anos (20% em cada um) é tão surpreendente como querer recuperar a brutalmente injusta avaliação do desempenho como factor para concursos. Se chegarem ao poder em 2026, a recuperação do tempo terminará em 2031. Além de tudo, a não recuperação já originou perdas irreparáveis no valor das reformas (muitos professores nem terão pensão capaz de pagar um (...)

250 mil euros por um T3 em Lisboa?!

11.09.21, Paulo Prudêncio
Os candidatos do PS e do PSD estavam há uns bons minutos a debater modos de fazer face à aquisição ou arrendamento de um T3 em Lisboa que, na compra, tem, segundo os candidatos, um valor de 250 mil euros. Com perplexidade, a moderadora televisiva finaliza a contenda: mas conhecem algum T3 à venda em Lisboa por 250 mil euros?

Pelos EUA e na Contenda Biden versus Trump

05.11.20, Paulo Prudêncio
Impressiona ler e ouvir alguns analistas em Portugal. E há mesmo quem se desfaça em elogios a Trump e às suas qualidades em campanha sem uma palavra para a cortina de fumo que nos EUA é evidente. Trump ergue com uma mão a bandeira dos golpes eleitorais e com a outra domina os correios provocando atrasos nos votos por correspondência nos estados em que o dia da eleição era o final do prazo de recepção, como no Wisconsin e na Florida. Por outro lado, o tal candidato (...)

A Corrupção e Banksy

07.09.19, Paulo Prudêncio
    O desenho na imagem é de Banksy. Uma leitura possível, é que o combate à corrupção não é mais eficaz por falta de meios. É um facto relatado por investigadores e profissionais. Mas nem sempre será assim. Há também casos estranhos de profissionais que abdicam de meios elementares disponíveis (uns vulgares pneus); é outra leitura do desenho. Encontrei uma notícia de 29 de Maio de 2019:  "A corrupção minou a sociedade. De cima para baixo e de baixo para cima. É uma das maiores quedas no ranking mundial: Portugal está menos competitivo que no ano passado. Corrupção, impostos e economia paralela são algumas variáveis que contribuíram para a descida.(...) (...)

Não É no Dia Seguinte

27.06.19, Paulo Prudêncio
    Os resultados das políticas públicas não acontecem no dia seguinte, muito menos na educação. Só legisladores nada rigorosos é que consideram o imediatismo. Seria demasiado não avisado, por exemplo, decretar um estilo de ensino para todas as salas de aula. A liderança da sala de aula inclui um número tal de variáveis e complexidades que exige contenção. Nem nos momentos pré-eleitorais se aceitam ligeirezas. Quando um governante, ou até um (...)

Falsas Promessas

13.01.19, Paulo Prudêncio
      Que me lembre, ocorreu há cerca de um ano o último grande "pico" mediático sobre a gestão das escolas. Concluiu-se que a democracia representativa foi uma miragem no modelo actual com destaque para a eliminação da vivência democrática numa instituição que se quer exemplar. É triste, mas é assim. Está documentado. Escolher as direcções (num (...)

das autárquicas 2017 pelas caldas da rainha

02.10.17, Paulo Prudêncio
    Formatei este post para o registo do blogue. Os dados foram obtidos aqui e em pouco tempo se constrói uma publicação para outros concelhos. Resido nas Caldas da Rainha desde 1989. Desde 2005 (o blogue é de 2004) que faço um post sobre as eleições autárquicas neste concelho. Desta vez, foram dois bloggers que me "desafiaram" já que a paciência se (...)

da espuma dos dias

21.09.17, Paulo Prudêncio
        "Grande adesão das pessoas", achou o candidato. "Pudera! Não te candidatas pelo PAN", observou um espectador de ocasião.

das coisas imutáveis

11.09.17, Paulo Prudêncio
        Decorre a campanha eleitoral para as autárquicas. São eleições locais. São precipitadas as conclusões nacionais dos resultados. Não me parece que alguém beneficie com a partidarização de assuntos nacionais a pensar nas eleições locais. Por falar nisso, vi um telejornal das 20h00. Escolhi a SIC e lá apareceu Miguel Sousa Tavares a derreter os funcionários públicos recuperando a divisão com os privados. É toda uma série de coisas imutáveis.

com férias no horizonte

17.06.17, Paulo Prudêncio
      Como caminhamos para férias, que é também um tempo de memórias, revisitei alguns momentos marcantes na crise da escola pública que vai em mais de uma década (2002 - 2015) de plano inclinado. Durão Barroso mostrou-se, há cerca de dois anos, "nostálgico da escola da ditadura". Sei pouco do que pensa este ex-primeiro-ministro, para além (...)

arquivo de repetições: e depois não queremos os trump´s

22.03.17, Paulo Prudêncio
      Se os eleitores ficarem "totalmente" indiferentes à banalização do mal ou da mentira, uma democracia deve preocupar-se com a saúde. Há muito que se teme o fenómeno. É que um dia os eleitores "acordam" e viram-se para fora do mainstream. As declarações do presidente do Eurogrupo são muito graves. É incontestável. É muito mau para a Europa. Mas há quase três anos declarou um mestrado com uma designação que não existia. Podia ser engano administrativo. Não foi. (...)