Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

O exame do miúdo carrega com quatro, senhores!

17.05.15

 

 

 

Na parafernália de exames que os miúdos começam amanhã, cada um carrega quatro responsabilidades: a sua, a do seu professor, a da sua escola e a do seu país (e não tarda da sua UE se os europeus descerem para sul). Esta injustiça levanta, desde logo, uma certeza antiga: os instrumentos científicos podem ser válidos, mas dependem da cabeça que os utiliza ou do que fazemos com eles. Um primeiro passo civilizado para estes exames dos miúdos seria óbvio: eliminar a sua publicitação em pautas, quadros e rankings e dar a conhecer os resultados apenas ao respectivo encarregado de educação.

 

É até indecente como as autoridades escolares e políticas reivindicam os bons resultados e assobiam lateralmente quando assim não é. O somatório de entidades que os miúdos carregam para os exames devia ser esclarecido: há muito que se sabe que, em regra, os resultados escolares melhoram com a elevação das sociedades e das famílias e ao longo de gerações. O bom ensino, as boas escolas e os bons ministérios são, em regra, uma consequência disso. Quem especializa precocemente exclui mais e tem sempre piores resultados globais a prazo; também há muito que se conhece esta evidência, mas a eliminação da história tomou conta das inteligências.

 

image.jpg

 

 

 

3 comentários

  • A primeira questão a resolver, na minha modesta opinião, é eliminar a publicitação de resultados nas provas dos mais pequenos. E depois iniciar uma discussão séria e mais virada para o lado técnico e organizacional.
  • Sem imagem de perfil

    Fernanda

    20.05.15

    Na minha também modesta opinião, a questão a iniciar-se, séria, é a da existência de exames no 4º e 6º anos e não a publicitação ou não, a técnica e a organização. Discuta-se, seriamente, as vantagens destes exames, tal como a vantagem dos exames Key e Pet do Cambridge.

    Na minha modesta opinião, é esta a discussão séria a ser começada. É a questão política e ideológica que, não parecendo, tem 1 objectico - a continuação da privatização da escola. A da escola para ricos e pobrezinhos, aquela coisa dos cheques ensino , os cortes na escola pública e os incentivos vários aos privados. Se há coisa em que os privados aparentemente são bons é na preparação para exames. E durante a realização dos mesmos.

    Já agora, e porque o considero uma pessoa sensível e inteligente, aconselho-o, caso não tenha ouvido, a ouvir as palavras de Manuel Alegre ao ser agora entrevistado na sic notícias. É uma questão de lavar a alma da gente e termos confiança que o estado de anestesia e apalarmento geral pode ser revertido.

    Boa noite.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.