Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

do elogio da escola da ditadura

14.04.14

 

 

 

Durão Barroso mostrou-se, recentemente, nostálgico da escola da ditadura. Sei pouco do que pensa este político profissional, mas os sound bites são suficientes. O seu percurso político foi quase sempre silencioso e cinzento à excepção da indizível campanha eleitoral para primeiro-ministro e do respectivo exercício. O seu legado, e do seu Governo, traçou a fronteira da destruição da escola pública e da terraplenagem na confiança nos professores através de um nivelamento por baixo.

 

Há muito que se reparou que a escola pública portuguesa incomoda Bruxelas. Desde 2008 que também se intuiu que os professores portugueses eram a espinha dorsal que faltava quebrar. Os ultraliberais - socialistas da terceira via e sociais-democratas desmemoriados ou com passagem oculta pelo BPN - não perdoam aos professores portugueses e em breve voltarão à carga com mais cortes. É o que parece segredar, ou determinar, Durão Barroso a Passos Coelho na cerimónia em que proferiu o dislate laudatório da escola da ditadura que se pode considerar um julgamento resultante da ignorância ou da má-fé. Parece-me apenas mais um episódio da tragédia que nos trouxe até aqui.

 

 

 

 

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post