Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Da Teoria Dos Desejos À Instalação Da Desconfiança

16.01.21

Em Janeiro de 2020, a "Diretora-geral da Saúde disse que o vírus não deverá transmitir-se entre pessoas e que foi contido na China". Percebeu-se que, para além da natural incerteza, era até mais um desejo uma vez que não havia preparação.

Em Abril de 2020, liam-se artigos assim: "Graça Feitas: não é preciso ir a correr à procura de máscaras"; "Máscaras: fomos tratados como crianças. Ou Graça Freitas não entendeu o que aí vinha – e é grave. Ou entendeu e camuflou o perigo real da situação – e também é grave.". Também se percebeu que, para além da natural incerteza, até seria mais um desejo uma vez que nem máscaras havia.

Em Janeiro de 2021, a "DGS defende que professores não são um grupo de risco. Graça Freitas defende que professores não integram grupo de risco na vacinação.". "No entanto, Filipe Froes, pneumologista e coordenador do Gabinete de Crise da Ordem dos Médicos, em entrevista à SIC Notícias depois das declarações de Graça Freitas, declarou que as crianças têm, no mínimo, a mesma capacidade de contágio dos adultos: e apresentou os estudos." Espera-se não se vir a perceber que, para além da natural incerteza, até seria mais um desejo uma vez que os professores são muitos para as vacinas nesta fase e as escolas têm que estar politicamente abertas.

Ou seja, também se compreende, naturalmente, a desconfiança.