Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Colocações de professores para 2023/24 e o que diz o Público

23.08.23

Tem que clicar em "continuar a ler" para ver todas as ligações.

Nota informativa – Listas definitivas de mobilidade interna e contratação inicial 2023/2024

Listas definitivas de mobilidade interna 2023/2024

Listas definitivas de contratação inicial e Reserva de Recrutamento  2023/2024

Entretanto, o Público diz assim:

"O concurso de contratação inicial contabilizou 51.665 candidaturas. Que correspondem a 35.047 candidatos, segundo apurou o especialista em estatísticas da Educação, Arlindo Ferreira, quando as listas de ordenação para este concurso foram publicadas, em Junho.
A disparidade entre os números justifica-se pelo facto de os professores se poderem candidatar a mais do que um lugar, o que leva a que exista sempre mais candidaturas do que candidatos no concurso de contratação inicial.
No concurso do ano passado houve um total de 49.337. Foram colocados 7099. A que se juntaram mais 5692 docentes do quadro que tinham concorrido ao concurso de mobilidade interna, destinado apenas a professores da carreira e que lhes permite mudar de escola para se aproximarem do seu local de residência.

Na altura em que as colocações foram conhecidas, a 12 de Agosto, o ministro da Educação indicou que ficaram preenchidos 97,7% dos lugares pedidos pelas escolas (13.101), o que fazia prever que o ano lectivo se iniciasse quase sem alunos com falta de professores.

Mas logo em Setembro, com o início do ano lectivo, começaram a chover de novo pedidos das escolas, na maioria para substituir docentes que, entretanto, entraram de baixa médica. Foi mais um ano marcado pela existência de milhares de alunos sem professores a pelo menos uma disciplina. No início do 3.º período, segundo contas do Ministério da Educação, eram 18 mil.

Entretanto reformaram-se mais cerca de 3500 professores, um número que continuará a crescer este ano lectivo e nos próximos, dada a idade avançada de muitos professores. Até 2023, deverão sair do sistema mais de 30 mil."