Em busca do pensamento livre.
Domingo, 10 de Dezembro de 2017

 

 

 

Os Paradise Papers são mais um marco da decadência vigente. Tem "sido assim": por cada corte num salário ou pensão, uma quantia equivalente caminhou para um offshore e para uma fuga aos impostos; ponto final. É um desequilíbrio insustentável que obedeceu, e obedece, a um poder ubíquo muito difícil de vencer ou sequer atenuar; veja-se os processos de reestruturação das dívidas soberanas.

"Ilha de Man, um “paraíso fiscal” com quatro mil milhões de euros de residentes em Portugal"

 

Nota: É toda uma "escola" que choca, realmente. Ainda ontem, e num nível local mas elucidativo, a jornalista Ana Leal reportou o caso ""Raríssimas", uma instituição de solidariedade social que vive de subsídios do Estado, e de donativos, destinados a apoiarem crianças com doenças raras", que parece usar as verbas da instituição para despesas sumptuosas. 

 

thequint-2017-11-e163b98a-9b41-4aca-860b-0edaf13360fe-PARADISE PAPERS_iSTOCK

 



publicado por paulo prudêncio às 17:52 | link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De Mario Silva a 10 de Dezembro de 2017 às 18:02
A mudança tem de ser por ação fisica; a retórica nos mass media e redes sociais apenas pode instigar a essa ação. Portanto, para quem ainda não vê a perspetiva global, quem controla o OE tem interesses a satisfazer; quando estes são postos em causa por outros intervenientes (salários dos trabalhadores, custos dos serviços, etc.), argumenta-se com os putativos privilégios que existem para justificar não haver dinheiro, alimentando uma população que se refugia nessa argumentação para apoiar quem argumenta.
E desta forma, não há aumento de salários, nem progressão na carreira, nem investimento nos serviços públicos, nem melhoria quantitativa e qualitativa dos serviços públicos.
E assim continuará até se encetar uma ação fisica (em vez de ficar-se pela catarse cibernética...) que force o poder a canalizar os recursos financeiros para a gestão coletiva.


De paulo prudêncio a 10 de Dezembro de 2017 às 18:28
Desde 2007 (mais ou menos) que Joseph Stieglitz explica o fenómeno.


comentar post

Inauguração do blogue
25 de Abril de 2004
Autor:
Paulo Guilherme Trilho Prudêncio
Discordâncias:
Mais até por uma questão estética, este blogue discorda ortograficamente
arquivo
comentários recentes
Enfim. Era o que mais faltava. É um vídeo muito bo...
Enfim. Nem mais.
cuidado que a reação já vai dizer: o-tipo-é-do-BE!...
Este comunicado do PCP é deplorável! O partido da ...
Enfim.Contudo, é bom recordar que fervilha a contr...
o jornal Público hoje noticiava que o PCP 'acha-be...
São muitos e a avaliação blá, blá, blá :)
subscrever feeds
mais sobre mim
Por precaução
https://www.createspace.com/5386516
ligações
blog participante - Educaá∆o - correntes .jpg
tags

antero

avaliação do desempenho

bancarrota

blogues

campanhas eleitorais

cartoon

circunstâncias pessoais

coisas tontas

concursos de professores

contributos

corrupção

crise da democracia

crise da europa

crise financeira

desenhos

direitos

economia

educação

escolas em luta

estatuto da carreira

falta de pachorra

filosofia

fotografia

gestão escolar

história

humor

ideias

literatura

luís afonso

movimentos independentes

música

paulo guinote

política

política educativa

professores contratados

público-privado

queda de crato

rede escolar

ultraliberais

vídeos

todas as tags

favoritos

bloco da precaução

pensar o sistema escolar ...

escolas sem oxigénio

e lembrei-me de kafka

as minhas calças brancas ...

as minhas calças brancas ...

reformas e remédios (1) -...

sua excelência e os númer...

posts mais comentados
Razões de uma candidatura
https://www.createspace.com/5387676