Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

delírios

11.11.12
      Estamos num período de vale tudo. Discutir o investimento médio por aluno com argumentos tão esfarrapados só está ao alcance de pessoas delirantes. Francamente: incluir a "festa" da parque-escolar-sa nos débitos das escolas do Estado é tão válido como contabilizar o edificado e o espaço correspondente (a fórmula até pode ser a mesma do IMI) das milhares de escolas encerradas.   Por outro lado, incluir os investimentos em infra-estruturas pelas escolas não (...)

tudo indica

10.11.12
        Os spin´s dos governos anteriores aceleraram a queda governativa com a manipulação dos números. O processo foi alvo da justa ridicularização e atingiu-se o auge com o célebre relatório OCDE.pt.bravodébora.   A nova maioria começou cedo com o processo-informativo porque andava, e anda, muito nervosa com a possibilidade do fecho da oportunidade. Sabe-se que o MEC e (...)

do descaramento

10.11.12
      Quem propõe que os alunos passem directamente do 3º ciclo para os politécnicos argumenta que as instiruições do ensino superior vão ensinar com as metas curriculares do ensino secundário.   Sendo assim, só há uma pergunta óbvia a fazer: então porque é que isso não se faz em escolas secundárias que foram renovadas recentemente com milhões de euros e têm professores mais do que preparados?

os desesperados

03.11.12
      A ideologia pode argumentar que o sector público deve ser resumido ao mínimo e que o privado gere com mais eficiência. Embora esta velha retórica esteja sempre por comprovar e nos tenha empurrado para onde estamos, faz parte da discussão política e ponto final.   O que já é do domínio da patologia, do fanatismo, da falta de seriedade ou de sei a o quê, é alguém argumentar que se deve alargar a lógica cooperativa de ensino para fazer face à refundacão e com (...)

por explicar

31.10.12
        Temos de acreditar que a teimosia ideológica não vai ao ponto de manipular as contas orçamentais.   Contudo, dá ideia que quem decide a esse nível (nas instâncias nacionais e internacionais) foi vacinado para o anti-sector público embora vá usufruindo das mordomias sem fim dos cofres estatais.   Se ler esta notícia...   "(...)Gastos sem (...)

não, não foram apenas os marcianos

19.10.12
    As imagens são do nosso parlamento e sobre o sistema escolar. Com parlamentares assim só podíamos estar na bancarrota. Há uma dose elevada de culpa na nossa tragédia. Não me admiro que os apoiantes da AD já só desesperem pela queda. Tanta inverdade associada à manipulação nunca dá bom resultado.  

até 300%

09.10.12
        É inadmissível que o FMI tenha errado numa margem que pode chegar aos 300% nos cálculos do impacto da austeridade na economia. No caso português, e que vai para além da troika, os denominados sectores sociais, com os professores como os principais escolhidos, é que pagam tanta impreparação. E ninguém se demite? Nem o consultor Borges?    

10, sempre as 10

01.10.12
      Estava, ontem, a tomar um café e a ler o Público e não conseguia deixar de ouvir a conversa animada na mesa do lado. A esplanada estava cheia e os quatro "vizinhos", dois homens e duas mulheres, falavam da conferência algarvia em que António Borges classificou de ignorantes os empresários anti-TSU e em que Relvas mostrou preocupação com o crédito dos políticos europeus (um comentário noutro post confirmou esta afirmação).   Um dos masculinos tecia laudos à (...)