Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

esboroar do monstro (17)

23.10.09
  Foi daqui.     Foram dezassete as rubricas que dediquei ao esboroar do monstro; monstro foi o nome que escolhi para baptizar aquilo que foi a formulação inicial do modelo de avaliação dos professores. Conjuguei-o em esboroar porque tinha a mais firme convicção de que a criatura fantástica era inaplicável.   Nesta altura importa sublinhar que aquele tenaz devaneio (...)

esboroar do monstro (16)

30.05.09
            Faz tempo que passei a caracterizar o modelo de avaliação do desempenho de professores como o monstro ou como a ponta do "iceberg" que asfixiava os professores portugueses.   A determinada altura, quando as entidades instituídas ainda dormiam, os professores, saturados com a inexequibilidade de um modelo que se mantinha ligado à máquina, forçaram o despertar das (...)

do absurdo em santo onofre (4)

19.05.09
  (encontrei esta imagem aqui)           Tenho recebido emails e outros tipos de contactos de pessoas que se mostram interessadas em conhecer como vai a vida por Santo Onofre; e isso, só se pode incluir na rubrica que também escolhi para intitular esta entrada. Quando inaugurei "o absurdo de Santo Onofre", pesei bem o adjectivo e não (...)

a luta segue dentro de momentos (2)

11.01.09
          Termina mais um semana alucinante na luta dos professores portugueses.   Teve dois episódios curiosos:   a não aprovação pela assembleia da República de vários decretos que se destinavam à suspensão da avaliação dos professores; e uma primeira reunião de membros dos Conselhos Executivos, estiveram presentes 139 presidentes de Conselho Executivo das escolas e (...)

a luta segue dentro de momentos (1)

10.01.09
    Começa a ser demasiado repetitivo desconstruir as políticas deste ministério da Educação.    A luta dos professores portugueses, que já se arrasta há quase dois anos, conhece episódios a um ritmo quase diário; e tem tipo sempre o mesmo tipo de epílogo: os professores dizem que assim não pode ser e o governo contraria com pompa e veemência: passam uns tempos e lá vem o governo dizer que afinal estava errado e que vai fazer as necessárias alterações. Mas nada de (...)

dias alegres (3)

07.01.09
      Há um aspecto nas posições que a minha escola tem assumido nesta luta dos professores que me deixa particularmente orgulhoso por pertencer a uma instituição com aquela cultura de liderança e de responsabilidade.   Antes de ir directamente ao assunto quero sublinhar o seguinte: no seguimento da publicação da primeira versão do modelo de avaliação dos professores, todos têm bem (...)

dias alegres (2)

07.01.09
        O Agrupamento de Escolas de Santo Onofre, em Caldas da Rainha, onde sou professor, e depois de uma aturada e detalhada análise da nova legislação em vigor, decidiu não aplicar o modelo de avaliação do desempenho de professores. Esta decisão assenta nos já sobejamente conhecidos argumentos e inscreve-se, naturalmente, no critério de completa inexequibilidade do referido modelo de avaliação que, na opinião expressa pela totalidade dos membros, encontra agora (...)

do monstro

29.11.08
    Li, no blogue do Paulo Guinote, um texto que subscrevo na totalidade.   O autor chama-se José Rosa Sampaio.   Ora leia.   O Monstro A monstruosidade burocrática chamada de avaliação de professores criou nos últimos dias uma situação de braço de ferro entre o Ministério de Educação e os professores, sindicatos e outras associações de classe, difícil de sanar. P (...)

intimidados

12.11.08
            Mais um desenho do genial Antero que retrata de modo incisivo a falência dos argumentos da actual ministra da Educação. Como é bom que haja professores que não perdem o sentido de humor.

dias alegres (1)

05.11.08
      O Agrupamento de Escolas de Santo Onofre, em Caldas da Rainha, onde sou professor, decidiu suspender o modelo de avaliação do desempenho de professores. Esta decisão assenta nos já sobejamente conhecidos argumentos e inscreve-se, naturalmente, no critério de completa inexequibilidade do referido modelo de avaliação.   A suspensão foi decidida na reunião de 5 de Novembro de 2008, do Conselho Pedagógico do agrupamento, num sufrágio por voto secreto que registou a (...)