Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Recordando Manuel António Pina - crónica de Outubro de 2010

04.04.18
        "A crise quando chega toca a todos, e eu já não sei se hei-de ter pena dos milhares de homens e mulheres que, por esse país fora, todos os dias ficam sem emprego se dos infelizes gestores do Banco Comercial Português que, por iniciativa de alguns accionistas, poderão vir a ter o seu ganha-pão drasticamente reduzido em 50%, ou mesmo a ver extintos os por assim dizer postos de trabalho. A triste notícia vem no DN: o presidente do Conselho Geral e de Supervisão daquele (...)

"a luz dos astros, essa não morre"

29.11.17
                              (imagem com autor desconhecido)     Uma lâmpada cheia de azeite vangloriava-se, uma noite, perante os que passavam ao pé de si, que era superior à estrela da manhã, pois projectava uma luz mais forte que todas. De repente, sacudida por um sopro de vento que se levantou, apagou-se. Alguém, que a reacendeu, disse-lhe: "Brilha, mas deixa-te estar calada, ó lâmpada; a luz dos astros, essa, não morre". Bábrio   Antologia da Poesia Grega (...)

Mário Soares (1924-2017)

07.01.17
      Mário Soares, uma das referências, provavelmente a maior, da política portuguesa do século XX, morreu hoje, em Lisboa. Ouvi, ao longo de mais de 40 anos, as opiniões mais diversas sobre a sua acção política. Votei em Mário Soares na segunda volta da sua primeira eleição presidencial e para o segundo mandato. Há palavras que me lembrarão Mário Soares: liberdade, democracia, tolerância, modernidade, Europa e coragem. Quem, como eu, era adolescente moçambicano em (...)

Fidel Castro (1926 - 2016)

26.11.16
      Morreu um dos símbolos de uma época. Fidel Castro e Che Guevara desenvolveram, com uma coragem comovente, a ilha alternativa a dois blocos imperiais: EUA e URSS. O processo prolongou-se e transformou-se num regime totalitário com as características inerentes. Foi pena, mas nunca se saberá se podia ser (...)