Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Linhas Tortas

07.07.19
    Não raramente, encontro no arquivo do blogue um espectáculo que vi e que de outro modo seria mais difícil a pesquisa. É um bom acervo da memória. Vi "Linhas Tortas", o filme de Rita Nunes, e aconselho. Uma boa história da actualidade e filmado em Lisboa. Já não posso dizer o mesmo da peça, com muito bons actores, "Golpada (...)

Tutorias na Escola

05.07.19
  O filme de Emmanuelle Bercot, "De cabeça erguida", retrata as tutorias no sistema francês. Considerando que um jovem pré-delinquente (ou sem pré) passará umas 5 a 7 horas diárias na escola, o tutor supervisiona, logicamente, as restantes 17 ou 19. O tutor é, portanto, um profissional ligado aos sistemas social e judicial. Tem contacto, por exemplo, com as (...)

O Verão e Rilke

24.06.19
    Os primeiros dias do verão, e hoje até está um dia tristonho, recordam-me sempre o 15 de Agosto e o filme imperdível de Gianni de Gregorio. E nem sei porquê, mas associo o filme à difícil poesia de Rainer Maria Rilke que exige leitura repetida, mas com um resultado sublime. Rilke é um dos meus poetas preferidos. Uma das suas obras maiores, "As elegias de Duíno (...)

Terminar a Semana a Ler Roma nos Dois Sentidos

27.01.19
      Foi mais uma semana estranha, mas com alguns fenómenos conhecidos. O Governo, quem sabe se aconselhado por mais um "especialista" em Maquiavel, ignorou outra contestação de professores e mantém o registo "vencê-los pelo cansaço". Não era desaconselhado que o Governo lesse, ou relesse, o Príncipe, já que o florentino apenas observou e explicou o comportamento dos governos e não o que deviam fazer. A CGD recentrou o debate com a publicação de listas das "elites" que (...)

Da Génese do Mal e da Actualidade

06.01.19
    É desconcertante o muito polémico filme, "A casa que Jack construiu", de Lars Von Trier. É uma obra brutal. A génese do mal projecta-se na actualidade com as referências mais variadas (arte - da pintura à literatura -, psicanálise, filosofia, sociologia, história, política). É uma narrativa muito dura e, como muitos dizem, excessiva. Concordo. Devia e podia evitar os excessos. Mas a actualidade também o devia fazer. Mas não só não o está a fazer, como está a (...)