Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

reduzir

22.11.10

 

 

 

 

 

A Fenprof defendeu junto do actual chefe do PSD a extinção das direcções regionais da Educação e fez bem. Embora estas decisões careçam de uma decisão mais ampla e estruturante, tem de se começar por algum lado. A organização administrativa portuguesa é a babilónia que se sabe e fonte de um colossal despesismo. Organismos com funções que se repetem e entidades do estado que existem em círculo é o mundo conhecido. A ausência de autonomia local na Educação é gritante e antiga.

 

A necessidade portuguesa de redução entra, finalmente, pelos olhos dentro. É pena que a "coragem" nacional se fique pelo Robin dos Bosques em versão invertida.

 

Mas um orçamento de base zero é a palavra de ordem. E não se pense que isso deve ficar ficar pela traquitana do estado. As organizações sindicais devem dar o exemplo. Limitar mandatos e custos. A parafernália de propaganda impressa a cores e em papel de luxo associada a documentação no mesmo registo, não é do tempo das novas redes, por exemplo. Não basta apontar o dedo sem dar o exemplo. Há que dar sentido aos financiamentos. Há um duro caminho a percorrer, se não queremos que a força sindical tenha os dias contados.

2 comentários

  • Um já leu
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.