Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

sem ministério da educação

17.06.10


 

 

Foi daqui

 

 

É a prova provada, digamos assim. Se durante a maioria absoluta se desconfiava que o ME era uma correia de transmissão do gabinete do primeiro ministro, nesta maioria relativa conclui-se que S.Bento tem o poder absoluto na agenda do sistema escolar. A actual ministra executa umas locuções sorridentes, um dos secretários de estado parece que perdeu o GPS e o outro consta-se que nunca o encontrou.

 

Dá ideia que as assessorias de S. Bento põem e dispõem apoiadas na federação partidária e nos boys, e nas girls, espalhados pelo país; é claro que o chefe do governo tem palpites obstinados sobre tudo e mais alguma coisa. A "parque escolar" é a desgraça do momento. Destina a arquitectos o privilégio do desenho de correntes pedagógicas, como aqui, e, não satisfeita, avança para um desastre anunciado: a constituição dos mega-mega-amontoados (vulgo mega-agrupamentos). À revelia de qualquer bom-senso e para justificar uma política desorientada, um grupo inexperiente e desconhecedor tem em mãos um dos processos mais atrevidos que me foi dado conhecer.

 

Veja-se lá que, e com receio da não sobrelotação das escolas secundárias intervencionadas, a "parque escolar" opta pelos mega-mega-amontoados para dar sentido estratosférico aos seus despropósitos. Já se comenta que os inenarráveis tempos do governo das chamadas "santanetes" ficavam uns patamares acima do que agora se assiste no sistema escolar.

14 comentários

Comentar post