Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

Correntes

da pedagogia e em busca do pensamento livre

gps

14.12.09

 

Foi daqui.

 

 

 

O GPS (Sistema de Posicionamento Global do inglês Global Positioning System) é um objecto que incompreensivelmente ainda não entrou na rotina dos portugueses que até são um povo acolhedor para as tecnologias. E remeto-me a esse acolhimento, porque li informação rigorosa que inscreve um registo de 16 milhões de cartões de telemóvel para 10 milhões de habitantes.

 

Mas voltemos aos motivos, factuais, como vão ver, que me levaram aos laudos ao GPS. Um empresário, gestor de uma holding (série de empresas que funcionam em rede, por vezes de características tentaculares) dirigiu-se à EDP em LIsboa. Como se perdeu e não encontrava a rua indicada, dirigiu-se à sede do Milennium BCP para ser orientado pelo Vice-Presidente do banco.

 

Bem sei que o BCP tem sido objecto das menos brandas tropelias e que está com dificuldades, mas que tinha uma administração em serviço "páginas amarelas" é que me deixou espantado. Mas digam lá se um GPS não tinha poupado uma ida de Santos à Rua Augusta para se ser recambiado de novo para o bairro da Rua das Janelas Verdes. Às tantas, e neste caso, nem GPS, nem telemóvel nem sequer a capacidade para antecipar as perguntas que se podem fazer em entrevistas que até parecem encomendadas.

1 comentário

Comentar post