Em busca do pensamento livre.
Terça-feira, 27 de Abril de 2004
noticias20001012011.jpg Devo fazer-vos uma confissão. Ao que julgo saber, esta ideia de confessar é mais uma bisbilhotice com aquela marca muito beata e muito própria de quem espia os seres que ultrapassaram a primeira barreira à liberdade: o baptismo. Só fui baptizado aos sete anos de idade. Vê-se logo que eu sou um ateu dos sete costados. Todavia, fico sempre com a consciência pesada quando cometo um qualquer adultério às verdades muito minhas. Cultura judaico-cristã, diz-se. Mas a minha confissão prende-se com uma ideia que eu quero que seja do meu avô. Não é que a ideia não seja dele, o que acontece é que eu quero que ele só a tenha contado a mim e a mais ninguém. Nunca vos aconteceu nada de semelhante? Talvez?. E se eu vos disser que nunca conheci os meus dois avôs? Já tinham falecido quando eu tive a feliz ideia de nascer. Talvez assim me comecem a desculpar. Atenuantes. A questão é a seguinte: lá por minha casa, sempre circulou a tese de que a melhor forma de se conhecer o nível cultural de um país é visitando as suas casas de banho públicas. Concordem ou não com a ideia, e isso para este caso é pouco relevante, o registo da patente é de um dos meus avôs. De qual deles é que não me lembro bem. Mas vamos lá ao pecado que justifica a confessada confissão. Estava eu a fazer uma conferência sobre o desempenho da escola onde exerço funções e a falar na importância que damos ao bom estado das casas de banho dos alunos – citando este exemplo para reforçar a necessidade de se ser persistente e nunca desistente – quando me vem ao discurso a seguinte afirmação: “foi o meu avô que me disse … e eu nunca mais me esqueci”. Podia ter dito o que vos disse a vós, mas não, romanceei. Nos breves momentos em que revelava a ideia era como se um dos meus imaginários avôs me estivesse a segredar. Naquele lugar e naquele momento, o facto da ideia me ter sido revelada em exclusividade tornou-se verdadeira: mais ninguém naquela sala podia partilhar do nosso segredo.

tags:

publicado por paulo prudêncio às 22:55 | link do post | comentar | partilhar

Inauguração do blogue
25 de Abril de 2004
Autor:
Paulo Guilherme Trilho Prudêncio
Discordâncias:
Mais até por uma questão estética, este blogue discorda ortograficamente
arquivo
comentários recentes
Até pode ser uma explicação: anos a fio na "selva"...
Até pode ser uma explicação: anos a fio na "selva"...
Uma descida grave.
Também de Singapura vêm outras boas iniciativas:ht...
Também aqui se realça Singapura por boas razões:ht...
tempos que têm os ingredientes para os 'trumps'/'b...
Não conhecia essa situação.
subscrever feeds
mais sobre mim
Por precaução
https://www.createspace.com/5386516
ligações
blog participante - Educaá∆o - correntes .jpg
tags

antero

avaliação do desempenho

bancarrota

bartoon

blogues

campanhas eleitorais

cartoon

circunstâncias pessoais

concursos de professores

contributos

corrupção

crise da democracia

crise da europa

crise financeira

desenhos

direitos

economia

educação

escolas em luta

estatuto da carreira

falta de pachorra

filosofia

fotografia

gestão escolar

história

humor

ideias

literatura

luís afonso

movimentos independentes

música

paulo guinote

política

política educativa

professores contratados

público-privado

queda de crato

rede escolar

ultraliberais

vídeos

todas as tags

favoritos

bloco da precaução

pensar o sistema escolar ...

escolas sem oxigénio

e lembrei-me de kafka

as minhas calças brancas ...

as minhas calças brancas ...

reformas e remédios (1) -...

sua excelência e os númer...

posts mais comentados
Razões de uma candidatura
https://www.createspace.com/5387676