Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

preconceito

09.10.09

 

 

Foi daqui.

 

 

 

 

 

Quem nunca teve preconceitos? Quando me apercebi em plena adolescência que tinha crescido numa sociedade que discriminava as pessoas pela cor da pele, tive um choque. É que a discriminação vivia silenciosa, é certo, mas habitava-me.

Quem nunca foi vítima de preconceitos? Já fui alvo de alguns. Tenho ideia disso. Lembro-me de no início da minha fase de adulto, e em que tive de vir estudar para Portugal, ter sido alvo de uma discriminação: ser"retornado". Tinha-me tornado numa espécie de refugiado político por ser discriminado na minha terra: Moçambique. Por motivos que, e escrevo-o com toda a sinceridade, nunca me preocuparam, passei a ser discriminado na terra de quase toda a minha família: Portugal.

Ora leia, meu caro leitor, o texto que se segue:

"Um grupo de cientistas colocou cinco macacos numa jaula, em cujo centro puseram uma escada e, sobre ela, um cacho de bananas. Quando um macaco subia a escada para apanhar as bananas, os cientistas lançavam um jacto de água fria nos que estavam no chão. Depois de certo tempo, quando um macaco ia subir a escada, os outros enchiam-no de pancada.

Passado mais algum tempo, mais nenhum macaco subia a escada, apesar da tentação das bananas. Então, os cientistas substituíram um dos cinco macacos. A primeira coisa que ele fez foi subir a escada, dela sendo rapidamente retirado pelos outros, que lhe bateram. Depois de algumas surras, o novo integrante do grupo não subia mais a escada. Um segundo foi substituído, e o mesmo ocorreu, tendo o primeiro substituto participado, com entusiasmo, na surra ao novato. Um terceiro foi trocado, e repetiu-se o facto. Um quarto e, finalmente, o último dos veteranos foi substituído.

Os cientistas ficaram, então, com um grupo de cinco macacos que, mesmo nunca tendo tomado um banho frio, continuavam a bater naquele que tentasse chegar às bananas.

Se fosse possível perguntar a algum deles por que batiam em quem tentasse subir a escada, com certeza a resposta seria: " Não sei, as coisas sempre foram assim por aqui... "

 

Autor desconhecido.



"É MAIS FÁCIL DESINTEGRAR UM ÁTOMO 

DO QUE UM PRECONCEITO"
Albert Einstein



Lembra-se dos dois exemplos que apresentei? 
Pois é; contrariam a tese dos cientistas uma vez que os "substitutos" libertaram-se dos preconceitos que referi. Todavia, isto também pode servir para reforçar a importante afirmação: "só o que é refutável é que é verdadeiro".

 

2 comentários

Comentar post