Em busca do pensamento livre.
Terça-feira, 21 de Junho de 2005
getimage.asp.jpeg





Ao contrário da RAN (reserva agrícola nacional) e da REN (reserva ecológica nacional) a RIN é inesgotável. Mas já lá vamos.

Li uma crónica assinada por Miguel Sousa Tavares, no Público”, de completa indignação em relação a uma intervenção discursiva do Presidente da República Jorge Sampaio. Dizia o cronista que o Presidente tinha prestado um mau serviço ao país quando disse que o mesmo não podia ser todo RAN e REN. Argumentava que tal asserção só servia os promíscuos e demoníacos interesses conjugados de autarcas, de governantes e de construtores civis. Mas estará o Presidente em desacordo com esta ideia? 

Gosto de ter este Presidente e fiquei a pensar nos motivos que o levaram a afirmar que havia país para além da RAN e da REN. Intrigou-me o facto de Jorge Sampaio dizer uma coisa destas e nem uma alternativa apresentar.

Uns dias depois, a 23 de Abril de 2004, dou comigo integrado numa comitiva oficial que celebrava, nas Caldas da Rainha, os 30 anos do 25 de Abril. A cerimónia iniciou-se num quartel (uma escola de sargentos), pelas 10h00, com um belo discurso do senhor Presidente da República, seguido do tradicional desfile das forças em presença - havia anos que não assistia ao aprumo das marchas militares ao som de uma das suas orquestras privativas -.

Devo confessar, com todos os riscos que uma confissão destas pode assumir,– que não fui para o palanque. Detesto apertões. Fiquei mais atrás, onde tive a oportunidade de ver todo o espectáculo sem ter que estar em bicos de pés. Não desgostei.

Dali fomos todos para uma sala - seria a messe de oficiais? - onde deve te-ser passado alguma coisa de muito interessante. Não passei da porta de entrada, pois de apertões já estamos conversados. Fiquei no exterior onde tive a oportunidade de assistir, e de participar, numa entrevista a uma rádio em resposta a uma pergunta muito pouco evolucionária - sim, nesse tempo, o governo de então resolveu comer o "r" ao revolucionário - : “"onde estava no 25 de Abril?"”

A romaria devia dirigir-se à vizinha escola de artes onde decorria um congresso que iria beneficiar da presença do Presidente. Pensei que deveria haver mais uma inauguração pelo meio. Estávamos convidados. O Presidente merece quorum. Tudo acontece muito rápido. O protocolo funciona bem. Vou atrás. Chego ao hall e vejo mais apertões. Espero. Entro no auditório cheio e sento-me. Ouço os discursos. Volto a esperar e volto a sair no carro vassoura. Ouço duas congressistas: "“viste os gravatas todos a reboque do Presidente?"”. Que dizer? A pessoa que me acompanhava - engravatado mas sinceramente preocupado com o quórum - olhou-as de um pouco incomodado e o embaraço de arrependimento foi logo evidente.

Seria a RIN a funcionar? Afirmam os eruditos que basta que existam dois humanos para que a RIN se propague. Os estudos mais recentes, apontam mesmo os humanos com destaque “mediatico” como o principal alvo da RIN.

Estaria o Presidente a pensar nos perigos de CRIN (contaminação pela RIN) pelos mais fundamentalistas e adeptos de um país exclusivamente RAN e REN?

Ah, claro, RIN significa: reserva da inveja nacional. Inesgotável, repito.
(Reedição. Reescrito.
1ª edição em 21 de Junho de 2005)

tags:

publicado por paulo prudêncio às 21:45 | link do post | comentar | partilhar

Inauguração do blogue
25 de Abril de 2004
Autor:
Paulo Guilherme Trilho Prudêncio
Discordâncias:
Mais até por uma questão estética, este blogue discorda ortograficamente
arquivo
comentários recentes
Muito bom.
https://blog-da-anal.blogspot.com/
Depois há coisas destas...https://www.blogger.com/...
É um tema que exige muitos caracteres. Darei a min...
Ora nem mais. Mas refiro-me apenas à audição de pr...
subscrever feeds
mais sobre mim
Por precaução
https://www.createspace.com/5386516
ligações
blog participante - Educaá∆o - correntes .jpg
tags

antero

avaliação do desempenho

bancarrota

bartoon

blogues

campanhas eleitorais

cartoon

circunstâncias pessoais

concursos de professores

contributos

corrupção

crise da democracia

crise da europa

crise financeira

desenhos

direitos

economia

educação

escolas em luta

estatuto da carreira

falta de pachorra

filosofia

fotografia

gestão escolar

história

humor

ideias

literatura

luís afonso

movimentos independentes

música

paulo guinote

política

política educativa

professores contratados

público-privado

queda de crato

rede escolar

ultraliberais

vídeos

todas as tags

favoritos

bloco da precaução

pensar o sistema escolar ...

escolas sem oxigénio

e lembrei-me de kafka

as minhas calças brancas ...

as minhas calças brancas ...

reformas e remédios (1) -...

sua excelência e os númer...

posts mais comentados
Razões de uma candidatura
https://www.createspace.com/5387676