Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

blá, blá, blá... e saímos por onde?

03.03.09

 

 

(encontrei esta imagem aqui)

 

 

E da reunião de hoje, entre representantes do governo com uma das federações de sindicatos de professores, nada há a acrescentar.

 

O governo espera por pareceres da OCDE (espera-se que não volte a ser da OCDE.pt) e do conselho científico de avaliação.

 

A federação de sindicatos vais auscultar os órgãos para ver se participa ou não no cordão humano de 7 de Março de 2009.

 

Ora leia os detalhes; se estiver para isso, claro.

 

 

Avaliação docente
03.03.2009 - 17h32 Lusa
O ministério da Educação (ME) aguarda pareceres do Conselho Científico para a Avaliação dos Professores (CCAP) e da OCDE para propor alterações ao modelo de avaliação docente, que os sindicatos do sector continuam a rejeitar.(...)

(...)O Secretário de Estado Adjunto e da Educação, Jorge Pedreira, lembrou que o memorando de entendimento assinado com os sindicatos no ano passado apresentava um calendário de negociação que apontava que o essencial do regime de avaliação para os próximos anos deveria estar pronto no final deste ano lectivo.(...)

(...)No entanto, Jorge Pedreira destacou que o esboço da avaliação de desempenho para os próximos anos espera ainda a contribuição de um parecer do Conselho Científico que acompanha a aplicação do processo este ano, porque "o governo pretende colher a experiência da aplicação do actual regime de avaliação de desempenho", e de outro parecer que o ministério pediu à OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico).(...)

(...)"Não faz sentido que tenha uma versão final de revisão do actual regime antes do trabalho de acompanhamento que está a ser feito, nomeadamente pelo conselho científico de avaliação de professores e antes de estar em posse dos pareceres", sublinhou.(...)

(...)"Não desistimos desta exigência que, aliás, ainda hoje nesta reunião reafirmámos", disse aos jornalistas o líder da FNE, João Dias da Silva. 

Sobre o modelo de avaliação que está a ser aplicado este ano, classificou-o de "injusto", pela existência "de duas categorias de professores" e "por todo um conjunto de factores que estão a perturbar" a escola. 

Depois desta reunião, a FNE vai pôr ainda à consideração dos seus órgãos a participação no cordão humano marcado pela Fenprof para sábado, tomando uma decisão, o mais tardar, sexta-feira.

2 comentários

Comentar post