Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

inevitável?

25.02.09

 

 

 

(encontrei a imagem aqui)

 

 

 

Tenho ideia de não me interessar por aí além pelas notícias à volta da indisciplina e da violência em ambiente escolar; sempre as entendi como fenómenos ligados à necessidade de vender informação a qualquer preço e também porque tenho tido a sorte de ter exercido as minhas funções profissionais em escolas libertas de algum modo destes flagelos sociais.

 

Mas nos últimos anos, e não só em Portugal, pois as receitas políticas que aplicamos são geralmente copiadas, o problema tem tido crescentes manifestações. As opiniões dos responsáveis institucionais apontam, em regra, para soluções que se circunscrevem à organização escolar; não concordo nada, mas mesmo nada, com isso. Aí não há grande coisa a fazer que já não se conheça e com todo um caminho ainda por percorrer: parece que não faz grande sentido o que acabei de escrever, mas são apenas aparências. O problema deve ser encarado pela sociedade na sua globalidade como se não existisse escola; ou seja, como educar as nossas crianças para que os professores lhes possam ensinar as matérias escolares.

 

Ora leia a notícia que se segue e tire as suas conclusões.

 

Lisboa é a região onde há mais inquéritos
Pais preocupados com dados do Ministério Público sobre violência escolar 
23.02.2009 - 19h58 Lusa
As associações de pais de Lisboa consideram "preocupantes" os dados hoje divulgados pelo Ministério Público que demonstram que Lisboa é a região onde há mais inquéritos relacionados com casos de violência escolar: cerca de 111 em 2008. Isidoro Roque, presidente da Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais (FERLAP), considera "preocupante a quantidade de processos-crime relativos a violência em ambiente escolar", defendendo a urgência no combate à violência nas escolas.

"Problemas há muitos, mas poucas soluções", argumenta Isidoro Roque numa nota, alertando para a falta de medidas aplicadas nesta matéria. O presidente da Confederação das Associações de Pais (Confap), Albino Almeida, considera igualmente "inaceitável e lamentável" que estes problemas continuem a proliferar nas escolas.

"As escolas devem impor-se naquelas que são questões de comportamentos desviantes, combatendo-as através dor órgãos necessários", defendeu. Segundo Albino Almeida é necessário e urgente, no sentido de se resolver os problemas de indisciplina, analisar cada escola, porque cada caso é um caso, e auferir as condições reunidas para combater estas situações

Já a Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE) defende, em comunicado, a necessidade de serem criados gabinetes de apoio à integração dos alunos nas escolas, mais profissionais auxiliares para os estabelecimentos de ensino de maior risco, mas também o reforço do programa Escola Segura, da PSP.

7 comentários

Comentar post