Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

em cada turma de trinta alunos, seis têm problemas psicológicos

30.05.14

 

 

 

 

 

"Em cada turma de 30 alunos, 6 têm problemas psicológicos", diz a Ordem dos Psicólogos e imagine-se a tarefa dos professores que não têm os dotes de Nuno Crato, esse incompreendido génio da docência no ensino não superior, que afirmou que só os professores com má qualidade não conseguem leccionar três dezenas de alunos na mesma sala de aula.

 

Até os alemães, veja-se lá, concluem que a "austeridade destrói a qualidade da Educação em Portugal".

 

 

 

 

 

 

um rol de chumbos

30.05.14

 

 

 

O TC aplicou mais uns chumbos ao orçamento do Estado. O Governo para além da troika avisou antes de o ser: somos contra a constituição. Não avisou, mas também se ficou a saber: não estuda os acórdãos e repete os erros. O Governo para além da troika e da constituição não conseguiu produzir um orçamento, suplementares incluídos, sem chumbos do TC. É recorde nacional e mundial.

 

 

 

 

 

 

professores em pé de guerra

30.05.14

 

 

 

 

A carreira dos professores (estatuto e concursos) é, há cerca de uma década, uma história de atropelos graves provocados por incompetências técnica e política associadas à engenharia social e financeira complementada depois com os cortes a eito para além da troika. Tudo com assinatura do arco da governação.

 

Há professores mal colocados e longe da residência há uma década (e muitos nem sabem), há professores seriamente prejudicados por terem sido titulares e outros por não o terem sido e por aí fora. É um rol interminável a que se acrescenta agora um concurso de vinculação extraordinária que exclui os professores do quadro. Digamos que o desrespeito pela profissionalidade dos professores começou com o inenarrável concurso de 2004, acentuou-se com o estatuto chavista made in ISCTE e afundou-se com os cortes a eito de género MRPP.

 

Ao contrário do título da notícia, os professores estão em pé de guerra e não em guerra uns contra os outros.

 

 

 

 

e metemos 30 na mesma sala de aula

30.05.14

 

 

 

 

"Portugal "perdeu" quase um milhão de crianças em trinta anos", diz o INE, mas o Governo para além da troika decidiu, pela voz de Crato, que "(...)"uma turma com 30 alunos pode trabalhar melhor do que uma com 15. Depende do professor e da sua qualidade (...)" e retratou o que acontece nos países asiáticos com democracias muito musculadas. É mais um ministro que não consegue ter voz política ou que não está a defender a escola pública e a igualdade de oportunidades.

 

Com o empobrecimento associado à queda da natalidade e à alteração de sentido dos fluxos migratórios, exigia-se que Portugal aumentasse a qualidade do ensino e reduzisse o abandono escolar. E só quem nunca pôs os pés numa sala de aula de um país com as nossas características é que não pecebe a diferença entre 24 e 30 no limite do número de alunos por sala de aula.