Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

até a troika se beliscou

06.05.14

 

 

 

 

 

Nuno Crato disse, hoje no parlamento, que não "há compromissos com a troika para a Educação" para o que vem aí. Pudera. Até a troika deve ter ficado pasmada com a falta de peso político de Crato que permitiu que os cortes a eito neste sector tivessem sido o triplo do acordado.

 

Há um detalhe, o público-privado na Educação, que entrou de vez na agenda mediática e que embaraça o actual ministro. Como se sabe, uma das primeiras medidas do exercício de Crato foi o aumento do valor por turma nas escolas cooperativas financiadas pelo Estado. Os jornalistas estão atentos e questionam o ministro sobre a abertura de turmas no próximo ano lectivo e sempre com o Oeste na mente. No caso que conheço melhor, as Caldas da Rainha, os colégios existentes sobrelotaram a oferta também no ensino secundário (algo que nem sequer estava previsto na escola pública que não foi construída para dar lugar a uma escola do Grupo GPS) e, no mínimo, espera-se que comecem por encerrar a abertura de turmas neste nível de ensino. Veremos qual é o "mínimo possível" a que se refere Nuno Crato.

 

 

 

 

 

 

a verdade dos números

06.05.14

 

 

 

"A austeridade nas escolas teve o triplo da dose prevista e os cortes a eito nos últimos três anos atingiram os 1100 milhões de euros", é uma conclusão que só surpreende os fanáticos ideológicos para quem a escola pública é uma espécie de mal necessário e um desperdício. E o pior é que as nossas "elites" estão impregnadas desse espírito (é antiga a agenda do "tudo está mal na escola pública") e suportaram ministros da Educação, como Crato, Lurdes Rodrigues ou Justino, que se concentraram, respectivamente, em pensamentos plastificados como "cortes a eito para fazer mais como menos", "engenharias sociais e financeiras num modelo que agradaria à Venezuela de Chavez" ou "ganhos de eficiência inspirados em João Rendeiro do BPP".

 

Mas Crato superou tudo o que existia ao transformar-se num subsecretário adjunto das finanças com intuitos, como se comprova, para além da troika. Será premiado com uma qualquer fundação ou com um cargo com ampla projecção internacional.