Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

da homenagem a António Marques Júnior, dos silêncios e da crise da democracia

23.04.14

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foi bonita e cheia de significado a homenagem de ontem, no parlamento, ao "Deputado Capitão de Abril" António Marques Júnior. As intervenções foram interessantes, mas registei a de Vasco Lourenço. "(...)Em nome dos capitães de Abril, Vasco Lourenço, presidente da Associação 25 de Abril, recordou um dos seus "maiores amigos da vida", mas declarou que Marques Júnior foi "maltratado em vida" e "não foi aproveitado como devia ser".(...)" é o destaque do Público.

 

 

 

 

 

Mas Vasco Lourenço disse mais e foi contundente. Marques Júnior faleceu em 31 de Dezembro de 2012 e presidia ao Conselho de Fiscalização do Sistema de Informações, o conhecido SIS. Como todos se recordam, até essa data o SIS abria os telejornais, era objecto das mais variadas desconfianças e tinha sérios problemas de fiscalização. Após o falecimento de Marques Júnior imperou o silêncio e desapareceu o "massacre mediático". Ou seja, e segundo Vasco Lourenço, o "Deputado Capitão de Abril" era o "problema" que importava resolver. As afirmações do presidente da Associação 25 de Abril são factuais e os familiares e amigos de Marques Júnior confirmam a saturação e o sofrimento causado pela situação vigente na democracia portuguesa.

 

 

 

 

 

só a designação

23.04.14

 

 

 

 

 

O Colégio Liceal de Lamas prepara, segundo a comunicação social, um despedimento colectivo de professores. Repare-se na designação: colégio liceal com a particular referência de se afirmar como ensino privado. Vamos ler e é o costume: financiados pelo Estado, sem redução do número de alunos, nos últimos anos não reduziram o financiamento recebido (ao que se sabe, Crato aumentou em 2011, como medida primeira, o valor por turma) mas despedem professores. Há um dado objectivo conhecido: foi alterado o estatuto da carreira do professores do ensino privado e cooperativo.

 

 

 

 

Cortesia do João Daniel Pereira