Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

dos centros cerebrais

14.02.14

 

 

 

 

 

 

 

É nos mesmos centros cerebrais que se sente a beleza de uma equação ou de uma obra de arte. A conclusão tem tanto de óbvio como de justo e questiona mais uma vez os desmandos dos descomplexados competitivos que nos governam.

 

É justo para os matemáticos que tantas vezes assistem ao desdém dos "agentes culturais", mas é também uma lição para os que usam o preconceito que despreza a importância dos ensinos das humanidades ou das artes.

 

Não é por acaso que os jovens investigadores em ciências exactas atrasam o interesse por outras belezas enquanto se aborrecem com a incompreensão dos outros em relação às suas visões e sentimentos.

 

Também se compreende ainda melhor os que defendem que as lideranças nas organizações se caracterizam por um único exercício: discorrer a propósito de uma obra de arte.

 

 

 

Dual precoce invertido

14.02.14

 

 

 

 

 

 

Depois de alguém ligado ao actual MEC ter avançado e recuado com a ideia chocante de um ensino dual aos 10 anos, vem agora o responsável pela Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo fazer eco de um dual invertido: "preparação para cursos de medicina a partir dos 10 anos em nome da liberdade de escolha das crianças e contra a "tirania" dos adultos". Valha-nos não sei o quê. A versão cata-vento entrou em registo desesperado? São estas as organizações que apoiam as políticas de Nuno Crato e associados. À medida que o tempo avança desaparecem as dúvidas sobre o retrocesso civilizacional que provocam.

 

E o mais grave é que há muito arco da governação a apoiar este género de "terapias" para a desigualdade. Ainda ontem ouvi na SICN um ex-ministro da Educação, e actual presidente do CNE, afirmar que as escolas são estruturas descentralizadas do Estado; e repetiu.

 

O direito administrativo escolar é, como se sabe, coisa menor nos corredores da capital. As autarquias, que julgo serem do conhecimento aprofundado do ex-ministro, são estruturas descentralizadas, essas sim, as escolas são desconcentradas (só uma outra "autonomia" permitiu uma crise de identidade na classificação entre as duas categorias) e estão mesmo no limite mínimo da concentração com a supremacia, também defendida pelo ex-ministro, dos conceitos de projecto educativo homogéneo e de comunidade educativa para justificar uma antiga teimosia sua: os agrupamentos de escolas. Valha-nos mais não sei o quê.

 

do consumo, do mercado e das contradições dos liberais

14.02.14

 

 

 

 

Termos perdido uma boa parte da lógica da cadeia de abastecimento pode ser uma causa primeira do imbróglio em que estamos metidos. Dá ideia que avançarão as sociedades que resistirem e que considerarem o homem em todas as suas dimensões. Encontrei duas passagens interessantes, e intemporais, em Adam Smith (2010:57), Riqueza das nações, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.