Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

fatais

23.01.14

 

 

 

 

A história da economia política registará os resultados actuais de Portugal como decorrentes das subidas das economias dos EUA e da Europa associadas aos cortes a eito nos do costume e à protecção da minoria que vai ganhando sempre. A presença do Tribunal Constitucional talvez tenha ajudado a encurtar a depressão. E é evidente que os calendários eleitorais também fazem milagres.

 

A propaganda da maioria que governa é apenas uma alínea da realpolitik que desespera uma oposição que usaria a mesma cartilha se governasse. Há inúmeras figuras da oposição que usaram técnicas parecidas em tempos recentes.

 

Como há pouco tempo escrevi,(...)em 1983, e depois de muita discussão pública, houve um corte no subsídio de Natal e as contas do Estado ficaram equilibradas para uma década. Desta vez, vamos entrar no quarto ano de cortes a eito em salários, subsídios e pensões, registamos despedimentos em massa e um aumento inaudito de impostos.(...). Há ainda milhares de eleitores que sentem na pele a emigração jovem. Estas evidências são fatais, impossíveis de esconder e a maioria sabe-o.

mas não aprendemos?

23.01.14

 

 

 

 

 

O que me impressiona não é a corrupção do capitalismo desregulado dos chineses, o que me deixa algo surpreendido são os elogios ao modelo e a não aprendizagem com os erros. Do modo como decorre esta coisa dos mercados desregulados globais, há perguntas que são quase imediatas: quando é que rebentará a próxima bolha? A dimensão da queda será pior do que a de 2007?

 

Há detalhes que demonstram como os chineses aprenderam depressa. Os dirigentes, da assembleia nacional, do comité central do PCC e do governo, que se tornaram super-ricos têm as contas bancárias e os bens em nome de familiares.