Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

mas é novidade?

02.12.13

 

 

 

O que vai ler a seguir exige que se pergunte: e as pessoas? E a tal de prestação de contas?

 

A "Autoridade Europeia dos Valores Mobiliários e dos Mercados (ESMA) detectou falhas graves nas três maiores agências de rating — Standard & Poor's, Moody’s e Fitch —, que avaliam o risco da dívida soberana dos países da União Europeia,(...)" e que influenciaram as trágicas políticas de austeridade em curso. Se associarmos a isto a célebre falha no modelo excel usado pelos austeritaristas, temos motivos para a mais profunda das indignações.

 

Há anos que se percebe que estes estudos internacionais são pouco credíveis e manipuladores, mas é inadmissível o que se passou nos últimos dois anos e que provocou o sofrimento de milhões de pessoas com o consequente enriquecimento de 1% da população mundial. Já não restam dúvidas que se assiste a uma luta de classes que perpetrou a maior transferência da história de recursos financeiros das classes média e a baixa para a alta.

 

Percebe-se como sobem os juros da dívida como a portuguesa que se transformou na mais lucrativa do mundo em 2012.

 

 

 

 

"(...)Da investigação, a autoridade europeia destaca ainda possíveis conflitos de interesses, falhas no controlo de confidencialidade, os timings de divulgação de alterações de classificação e falta de recursos humanos para elaborar as classificações.

A investigação às classificações das agências de rating, seguidas por muitos investidores nas suas opções de investimento em títulos de dívida soberana, surgiu na sequência dos cortes de rating das agências em plena crise da dívida na zona euro.(...)"

 

 

 

"(...)Outras falhas apontadas pelo regulador têm a ver com o processo de notificação de alterações de ‘rating' aos soberanos alvo dessa acção, sobre o pouco tempo que os comités para atribuir ‘ratings' levam a tomar uma decisão relativamente à nota de crédito de um determinado país e sobre a atribuição das funções de avaliar os Estados a recursos humanos com pouca experiência ou mesmo recém-contratados."




enojado

02.12.13

 

 

 

 

Sim, enojado com as últimas notícias da dispensa da prova de acesso para os professores contratados com cinco ou mais anos de serviço. O MEC e os sindicatos (iniciativa da FNE e de mais dois sindicatos afectos à UGT) que chegaram a este acordo devem ter vergonha. Se concordam que a prova é injusta, é injusta para todos e não apenas nestas circunstâncias. Como há muito acontece, os jovens adultos são usados para salvar faces diversas e como cobaias para estas jogadas de bastidores.

 

 

claro que é imperdoável

02.12.13

 

 

 

O Governo afirmou-se para além da troika, anunciou o empobrecimento irreversível e convidou os jovens adultos a emigrarem. Foi assim em 2011.


Dois anos depois, e quando se sabe que Portugal é o único país da troika a sair da crise com menos população e que está com sérios problemas demográficos, o primeiro-ministro anda por aí a corrigir o discurso. É lamentável. Passos Coelho diz inverdades, é impreparado, é radical em termos ideológicos e é atrevido como se verificou na campanha eleitoral. Só lhe resta uma saída, realmente. O que o país menos precisava era deste tipo de experimentalismo irresponsável.