Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

um dia atípico?

14.10.13

 

 

 

 

 

Percorri alguns blogues e jornais online e dei com duas notícias desconcertantes: um professor que diz que está "preparado fisicamente para actuar se um aluno desobedecer" e um caso muito grave de um aluno que é suspeito de "ter esfaquado uma colega e uma funcionária". É um dia atípico em termos mediáticos nos assuntos do sistema escolar, mas será um qualquer sinal.

 

No primeiro caso, regista-se a existência de um professor adepto do docente-especialista-em-wrestling. É, no mínimo, uma novidade. Há uns anos fiz um post com a seguinte pergunta: pode um invisual ser professor? Terminei o post assim: "A resposta, mesmo que se fique pela dúvida, pode atestar da qualidade da nossa sociedade". Não sei se o docente-especialista-em-wrestling defende a opção pelas artes marciais como forma de incluir todos os professores. É que nem todos os professores são tão fortes como este inesperado lutador.

 

O segundo caso é mais perturbante. Pode até ser um fenómeno isolado e que não se repita tão cedo. Assim se espera. Mas com o empobrecimento em curso associado ao aumento do número de alunos por turma, ao aumento dos horários dos professores nos últimos dois anos e à dificuldade da gestão de proximidade, não nos devemos espantar se o clima de desesperança que atravessa o sistema escolar vá para além do abandono e do insucesso escolares em curso.

 

 

 

do aperto do cerco

14.10.13

 

 

 

 

Dá ideia que o Tribunal Constitucional impede o derrube definitivo da democracia. Nem sei se há governantes deliquentes, mas é seguro que há gente a sacar ao Estado ao ritmo de sempre. Ainda hoje se soube que o Hospital da Cruz Vermelha sacou ao Estado o triplo do necessárioE o que fez o ministro da pasta? Renovou o contracto por um terço.

 

Voltando ao constitucional, o Público de hoje tem uma crónica muito pertinente.

 

 

 

 

 

 

 

 

percebe-se

14.10.13

 

 

 

 

 

 




Os tempos que estamos a viver reflectem-se na saúde mental. Basta estar atento para detectar os sinais. Há muito que os psiquiatras têm nos professores os doentes mais assíduos e a tendência é para que se agrave o estado de "depressão" desse grupo profissional.


A Noruega vai financiar um estudo sobre o impacto da crise na saúde mental dos portugueses.


Em paralelo com esta notícia, constata-se o aumento do número de toxicodependentes. A sociedade portuguesa adoeceu mesmo e o sistema escolar está à beira de um ataque de nervos por exaustão. Se nada de positivo acontecer nos próximos meses, o ano lectivo em curso será mais conturbado do que o final do anterior.