Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

coisas muito boas

28.09.13

 

 

 

 

 

Decorreu em Bordéus, de 15 a 20 de Setembro de 2013, a "The Seventh International Congress on Advanced Electromagnetic Materials in Microwaves and Optics – Metamaterials 2013".

 

Como se pode ver no programa, participaram investigadores das principais universidades distribuídos do modo que se pode ver a seguir.

 

 

 

 

A competição de "papers" de investigação registou a inscrição de centenas de investigadores doutorandos. A Filipa Isabel Rodrigues Prudêncio esteve em competição e alcançou um resultado excelente (3º lugar).

 

Pode consultar o quadro que regista o esforço e o empenhamento da Filipa.

 

 

 

empobrecer e desistir (2)

28.09.13

 

 

 

 

 

 

Este ministro da Educação é risível. Vai promover um inquérito para saber as causas do óbvio. Por este andar, não será apenas no superior que o plano inclinado se sentirá.

 

 

Em 18 de Setembro de 2013 escrevi assim sem ter consultado os resultados de um qualquer inquérito:

 

 

Os números não enganam: temos menos alunos no ensino superior, menos alunos no ensino regular completo do ensino secundário e do 3º ciclo e se o desmiolo continuar teremos menos alunos no 2º ciclo por via do ensino dual precoce. Estamos a empobrecer e a desistir da Educação. Para além disso, devíamos ter vergonha com o armazenamento de alunos nas salas de aula, com a preguiça para antecipar os problemas e por não combatermos mesmo (veja-se o caso inglês no primeiro ciclo e a relação com a epifania Cambridge) o insucesso escolar no pré-escolar e no 1º ciclo.

 

Que não existam dúvidas: mais anos de frequência no ensino regular completo é o único indicador do avanço civilizacional de uma sociedade. É aí que se estabelece a igualdade de oportunidades. Só a ingratidão de uma sociedade endinheirada, a mais formada de sempre pela escola pública, é que nega a evidência. Não adianta argumentar com o mercado de trabalho: os alunos do ensino regular completo conseguem, em poucos meses, adquirir as competências e os conteúdos da maioria dos cursos profissionais, CEF´s e dual.

 

O que mais impressiona neste processo de exclusão é que até os professores são atingidos pela voracidade. Os professores estão a desistir há anos a fio. Em Portugal é-se politicamente incorrecto por se pronunciar inclusão ou combate ao abandono escolar. Uma sociedade exclusiva, pobre e imatura elimina essas expressões caras ao desenvolvimento.

 

 

 

não deixem que alguém seja esquecido!

28.09.13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Expresso diz assim:

 

 

"Excerto do discurso proferido por Malala Yousafzai na cerimónia de entrega do galardão "Embaixador de Consciência da Amnistia Internacional", em Dublin, Irlanda, a 17 de setembro de 2013. Malala ficou conhecida no ano passado, quando levou um tiro na cabeça por defender no seu blogue o direito das raparigas à educação no Paquistão. Sobreviveu e hoje é uma fervorosa ativista."


"(...)Gostaria de agradecer à Amnistia Internacional pelo seu continuado trabalho de proteção dos direitos humanos e por me dar esta distinção pela nossa campanha global em nome da educação das raparigas. É com a maior humildade que partilho hoje este galardão com o não só Rei do Calypso, mas também rei das campanhas pelos direitos humanos em todo o mundo. Tem a minha profunda admiração, Sr. Harry Belafonte.


Caros irmãos e irmãs, como muitos de vós saberão, o meu amado país natal, o Paquistão, e os seus cidadãos estão a sofrer nas mãos de violentos terroristas. A guerra continua a ser travada contra civis inocentes do Afeganistão, enquanto raparigas de todo o mundo são privadas do seu direito básico à educação. Raparigas como Sambul, de 5 anos, são vítimas de violência sexual. Defensores dos direitos humanos são mortos, como Sushmita Banerjee, uma profissional da saúde e autora morta a tiro no Afeganistão. Podemos ver que na Síria as pessoas estão sem abrigo e as crianças fora da escola. Na Índia as crianças são vítimas de trabalho infantil e de tráfico de menores.

Em muitos países, as mulheres têm sido vítimas de abuso sexual, casamentos precoces forçados e trabalho doméstico. Não são aceites como seres humanos, mas são vistas como seres inferiores, negligenciadas e marginalizadas. As mulheres são privadas dos seus direitos básicos à igualdade e à justiça. Eu poderia continuar indefinidamente a falar das atrocidades e das violações dos direitos humanos que ocorrem a cada hora, a cada minuto e a cada segundo, de cada dia que passa.


Eu sei que cada vez que uma pessoa chega e dá um discurso, a audiência bate palmas e a coisa acaba ali. Caros irmãos e irmãs, não estou aqui para vos explicar em detalhe os problemas com que nos deparamos, pelo contrário, estamos aqui todos para encontrar uma solução para esses problemas. Todos vocês devem estar a questionar-se: qual é a solução? Creio que a única solução é a educação... a educação... a educação!

Com esta poderosa arma podemos combater a violência, o terrorismo, o trabalho infantil e a desigualdade. As únicas ferramentas necessárias são uma caneta e um livro, para nos guiarem rumo a um futuro esclarecido para todos e para cada um.  


Hoje, gostaria de pedir a cada um de vós que fizesse uma pequena coisa. Esta pequena coisa é levarem uma caneta ao papel e pedirem aos vossos governos que se foquem na educação e que tomem medidas práticas.


É vital que a educação seja a sua primeira prioridade.


Quero viver num mundo em que a escolaridade obrigatória gratuita esteja disponível em todo o lado, para todas as crianças."