Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

perderam o direito a dúvidas?!

10.09.13

 

 

 

 

O ex-ministro da saúde Correia de Campos é classificado como um tecnopolítico sabedor e rigoroso. Se bem me recordo, a sua saída do Governo de Sócrates foi aplaudida por alguns não alinhados com o "Blairismo" do ex-chefe-do-Governo-e-do-PS.

 

Na sua crónica, no Público de ontem, elogia o aumento da qualidade no sistema escolar com as políticas dos últimos governos do PS. Só nos resta lamentar que não se aprenda com os erros.

 

O modo ligeiro como este gestor afere a qualidade dos sistemas ficou bem patente em 2010. Quando o questionaram sobre os motivos que originaram a melhoria dos resultados PISA realizados em Abril de 2009, o tecnopolítico argumentou com o novo modelo de gestão escolar que só entrou em funcionamento em Maio do mesmo ano. A falta de rigor arrepiou-me. Desta vez, vai mesmo ao ponto de retirar aos professores o direito a duvidarem e ainda por cima faz um rol de afirmações imprecisas. É caso para recomendarmos: quem retira aos outros o direito à dúvida, deve começar por aplicar o princípio às suas conclusões.

 

 

“(...)É certo que durante muito tempo, até 2006, os edifícios estavam em muito mau estado, os professores tinham horários muito folgados, a escola ocupava o aluno pouco tempo, lançando-o na rua com escassa protecção. É certo que a reacção de professores e sindicatos às reformas de Maria de Lurdes Rodrigues foi desproporcionada, corporativa e irrealista. (...)Em muito contribuíram para a queda da governação de José Sócrates. É certo que o ensino secundário era, até há alguns anos, dispendioso comparativamente com outros países, os professores eram relativamente bem pagos e precocemente reformados, pouco eficiente, e com elevadas taxas de insucesso. Em cinco anos muitos desses erros foram corrigidos sem desvirtuar a universalidade do sistema: escola a tempo inteiro. (…)O insucesso baixou, a escola pública ampliou a qualidade, as instalações foram renovadas, a eficiência global aumentou. Os professores tardaram a reconhecer a mudança, mas hoje perderam o direito a dúvidas.(...)"



confap discorda do público-privado no oeste

10.09.13

 

 

 

A relação público-privado na rede escolar no Oeste entrou na agenda mediática com particular destaque para as Caldas da Rainha. São frequentes as abordagens ao assunto quando se fala de cheque-ensino ou em matérias afins. Ontem, no Opinião Pública da SICN, o jornalista confrontou, ao minuto 7, o presidente da CONFAP com a gravidade da situação no Oeste. O entrevistado concordou com o jornalista, classificando como incompreensível o que se passa nessa zona do território nacional.