Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

do retrocesso civilizacional

28.06.13

 

 

 

 

 

 

A fuga ao estudo das humanidades acentua-se e é um elemento perturbador que indica um retrocesso civilizacional. Se será mais ou menos grave dependerá das tendências do futuro próximo. 

 

Sabe-se que cerca de 40% dos alunos que frequentam os Cursos Científico-Humanísticos não aspiram ao ensino superior. Em 2009, que são os dados mais recentes do MECe penso que a tendência agravou-se, os alunos desses Cursos já só eram 39% das pessoas matriculadas em "Educação e Formação" e dentro destes (não existem dados, a menos que não os consiga encontrar) imagino que 20%, se tanto, frequentam o de Humanidades. Dentro de uma década escassearão os professores para estas áreas, mas ainda mais grave será a eliminação do conhecimento e da investigação em saberes dos domínios da História, da Filosofia, da Geografia, da Antropologia e por aí fora e já nem incluo o Latim ou o Grego.

 

É evidente que quanto mais cedo (em relação à idade dos alunos) desprezarmos esses saberes nos currículos, mais se retrocederá. Em última instância, as escolas para ricos disponibilizarão currículos completos e as escolas para pobres especializar-se-ão em currículos alternativos, vocacionais, duais e por aí fora (as mudanças de designação parecem obedecer apenas a destinos financeiros com o aumento do mínimo de alunos para a constituição de uma turma).

 

Pode ver um quadro do link indicado como os dados referentes a 2009.

 

 

 

 

No mesmo site encontrará um relatório com a evolução de 2005 a 2009 donde retirei o quadro seguinte. Fazendo as contas e comparando com o quadro anterior, verifica-se que os números de 2009 não se equivalem. Mas vamos considerar que, no próximo quadro, o ano de 2009 refere-se a 2008/09 e o de cima a 2009/2010. A ser assim, a tendência de quebra acentua-se. Esperemos pelos dados de 2012 e 2013 e será ainda mais elucidativo quando olharmos para os de 2014.