Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

não somos a grécia e os fundos de greve

21.06.13

 

 

 

 

 

"Não somos a Grécia", sentenciou Passos Coelho mal foi eleito. Nessa altura, a Europa impressionava-se com o regresso da troca de produtos entre os gregos. "Dás-me um quilo de arroz que eu dou-te um de açúcar", era um exemplo do anunciado descalabro austeristarista na Grécia.

 

Os professores portugueses, numa comovente e quase heróica sequência de acções de luta, organizam fundos para ajustarem os prejuízos das greves às avaliações que completaram hoje duas semanas com uma adesão próxima dos cem por cento. Estão que nem gregos. Há vários modelos de fundo de greve. Há quem se financie em cada reunião escolhendo os escalões mais baixos de vencimento, há quem organize um fundo que pagará mais tarde aos grevistas e já se constroem modelos para os tempos que se avizinham e até com a participação de quem não tem serviço objecto da contestação. Do que tenho presenciado, é tudo feito com uma contida revolta e com a tristeza patente nos olhares.

 

É uma pena que essas reuniões, ao contrário de outras, não sejam gravadas. Deviam ser e depois divulgadas em simultâneo com as silenciadas das mesas de negociação e com direito a comentários dos governantes que se têm sucedido sempre com a promessa eleitoral de prioridade à Educação.

 

 

 

 

amanhã, em alcobaça

21.06.13

 

 

 

Recebi por email com pedido de divulgação.

 

 

«Boa tarde,

Amanhã (sábado 22-06-2013) teremos em Alcobaça o Conselho de Ministros.
Depois de uma breve auscultação a um grupo alargado de pessoas, as respostas obtidas vão ao encontro de amanhã nos mobilizarmos às 14h (a reunião de conselho de ministros é às 14h30) para uma Manifestação Silenciosa de Luto(se bem que se houvessem umas carpideiras não fazia mal nenhum (brincadeira)).
Respondam  a este mail para saber se a adesão é grande ou não.
Passem esta informação para fazer chegar a TODOS os professores do MEGA e de outras escolas.
Vamos tentar fazer Alguma Coisa Que Se Veja..
Não Podemos Desistir Quando Estamos Tão Perto Da Vitória.
Cumprimentos.»





apenas lentes?

21.06.13

 

 

 

 

 

 

 

Os governantes não se cansam de repetir pelo mundo que o povo português é muito maduro, paciente e compreensivo e depois aparece um ministro, uma aquisição recente que por acaso tem Maduro no nome, a queixar-se da contestação dos portugueses. Às tantas queria que a onda ultraliberal-thatcheriana fosse em frente com a passividade dos seus compatriotas.

 

Pelo que percebi este ministro acusou os sindicatos de mentirem na mesa negocial por causa dos exames. Deve ter concluído que estava mal informado e esta mensagem é para dentro do Governo, mais especificamente para a malta da escola MRPP-mais-os-jotas, ou então tem que mudar urgentemente de lentes.

 

É que mais à frente diz assim:

 

  

E depois há o verdadeiro organigrama. É impensável como o ministro não contesta na rua ou com greves fracturantes o domínio desastroso das três figuras cimeiras.