Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Correntes

em busca do pensamento livre

Correntes

em busca do pensamento livre

mais de metade

15.02.13

 

 

 

 

Das 28.000 pessoas que deixaram a função pública no ano de 2012, 15.500 estavam vinculadas ao MEC e os professores ocupam a quase totalidade do número. Tem sido sempre assim: os que evidenciam estes dados são considerados tremendistas, recebem o quase silêncio da opinião pública e publicada e quando os números se confirmam a normalidade não incomoda.

 

A escola pública foi, há anos, escolhida para que os governantes se pavoneiem com com o seus ímpetos reformistas e a sociedade, que está ausente da escola e que só lá aparece para uma espécie de jogo da partidocracia disfarçado do eufemístico "comunidade escolar", exerce um silêncio cúmplice que reafirma a estranha antipatia para com a escolaridade. Mais de metade dos despedidos foram professores.

 

O segundo lugar de mais um ranking (é uma febre, realmente) fica para a saúde com dois mil funcionários, incluindo 524 enfermeiros e 131 médicos.

 

Saíram da administração pública mais de 28000 trabalhadores em 2012

da autenticidade que resta

15.02.13

 

 

 

O vídeo que pode ver com o discurso de Jerónimo de Sousa (JS), hoje no parlamento, traduz a autenticidade que resta nos poderes formais na nossa depauperdada democracia. Concorde-se ou não com as propostas governativas de JS ou até com a forma como o sindicalismo tem desempenhado a sua função, temos de acreditar que o cinismo não se impôs de vez e que sinais semelhantes venham a caminho. É uma boa introdução para a manifestação de amanhã.